Perigo

Ninho de vespa asiática destruído em aldeia das Caldas da Rainha

A GNR foi alertada por populares residentes em Casal das Hortas para a existência de um ninho num sobreiro. Estrutura foi aniquilada pela Protecção Civil
Fátima Mariano
Destruído ninho de vespa asiática nas Caldas da Rainha
Destruído ninho de vespa asiática nas Caldas da Rainha
A vespa asiática pode reagir de forma agressiva se sentir o ninho ameaçado a uma distância de cinco metros

Um ninho de vespa velutina (vulgarmente conhecida por vespa asiática) foi destruído, na quarta-feira, em Casal das Hortas – Carvalhal Benfeito, no concelho das Caldas da Rainha. Esta espécie não indígena, identificada em Portugal desde 2011, é predadora natural da abelha europeia (Apis mellifera), e de outros insectos, podendo, a médio prazo, ter um impacto negativo na biodiversidade da região onde se instala.

 

De acordo com o adjunto do Comando Territorial de Leiria da GNR, o ninho foi recentemente sinalizado por populares. Uma equipa do Núcleo de Protecção Ambiental das Caldas da Rainha deslocou-se à aldeia e confirmou tratar-se da vespa asiática. O ninho estava num ramo de um sobreiro, a cerca de 15 metros de altura.

 

Dada a especificidade e perigosidade da espécie, o ninho foi destruído pela Protecção Civil das Caldas da Rainha através de intervenção química (feromonas) com recurso a sistemas mecânicos para injecção no ninho (cana de carbono).

 

A GNR aconselha os populares a não tentarem exterminar os ninhos de vespa asiática, tendo em conta que são necessárias técnicas específicas. Caso localize um ninho, deverá comunicar o facto às autoridades através da linha SOS Ambiente (808 200 520) ou do portal SOS Vespa, ou contactando a Câmara Municipal ou Junta de Freguesia da zona.

 

 

Espécie invasora

A vespa asiática é oriunda no norte da Índia, do leste da China, da Indochina e do arquipélago da Indonésia, onde pode ser encontrada nas zonas montanhosas e mais frescas. Foi introduzida voluntariamente na Europa em 2004, através do território francês. A sua presença foi confirmada em Espanha em 2010, em Portugal e na Bélgica em 2011 e em Itália nos finais de 2012, segundo o Instituto para a Conservação da Natureza e das Florestas.

 

Embora isoladamente não seja uma ameaça para o ser humano, a vespa asiática pode reagir de forma agressiva caso sinta o seu ninho ameaçado. Se sentir uma vibração ou ameaça a cerca de cinco metros de distância, o grupo pode perseguir o inimigo durante cerca de 500 metros.

 

Além disso, provoca uma diminuição da actividade da vespa europeia, o que poderá resultar na morte da colmeia. Por estas razões, em Julho de 2016, a vespa velutina foi classificada como espécie invasora de preocupação para a União Europeia.