Porto

Exposição fotográfica alerta para o perigo de extinção dos tubarões

Mostra, que reúne cerca de 50 imagens do fotojornalista americano Brian Skerry, pode ser vista até 31 de Dezembro no Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto
Bichos
Tubarões é o tema de uma exposição de fotografia
Tubarões é o tema de uma exposição de fotografia
Visitantes têm a oportunidade de entrar numa jaula semelhante à usada por Brian Skerry para fotografar (foto: Brian Skerry/National Geographic)

Sharks, uma missão de Brian Skerry é a mais recente exposição patente na Galeria da Biodiversidade – Centro Ciência Viva do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto. A mostra, composta por 50 fotografias da autoria de Brian Skerry, da National Geographic, pode ser vista até 31 de Dezembro, de terça-feira a domingo, entre as 10 horas e as 18 horas.

 

Os visitantes têm a oportunidade de entrar numa jaula semelhante à utilizada pelo fotojornalista americano Brian Skerry e, desta forma, viver a experiência de estar no fundo do mar, em plena observação científica. Skerry conta já com mais de 10 000 horas de mergulho e 14 viagens à volta do mundo. Já fotografou diversas espécies de tubarões, entre os quais o tubarão-tigre (Galeocerdo cuvier), o tubarão-branco (Carcharodon carcharias) e o tubarão-azul (Prionace glauca).

 

Esta sua aventura começou há cerca de 30 anos, quando teve o seu primeiro contacto com um tubarão-azul na costa de Rhode Island, nos EUA. Um momento que o fotojornalista descreve desta forma: «Todos os meus sentidos ficaram alerta. O meu coração acelerou à medida que me aproximei até cerca de um metro de distância. O tubarão mal reparou na minha presença e desapareceu».

 

A exposição Sharks, uma missão de Brian Skerry tem como objectivo alertar o público para o perigo de extinção dos tubarões, despertar consciências e ultrapassar mitos. De acordo com a organização, todos os anos, cerca de 100 milhões destes animais são capturados de forma acidental ou voluntariamente, para comercialização das suas barbatanas. Por este motivo, muitas espécies estão em extinção, provocando uma mudança dramática na biodiversidade marinha, uma vez que estes predadores são essenciais para manter o equilíbrio destes ecossistemas.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.