Crueldade

Proprietário de zoo canadiano detido por maus-tratos a animais

Norman Trahan está acusado de infligir dor e causar ferimentos desnecessários aos cerca de 100 animais que mantinha em cativeiro, além de não lhes fornecer água, comida e abrigo adequados
Bichos
Dono de zoo canadiano foi detido
Dono de zoo canadiano foi detido
Embora não estejam em perigo iminente, alguns animais necessitam de cuidados médico-veterinários (foto: minka2507/Pixabay)

O proprietário do Jardim Zoológico de Saint-Édouard, em Mauricie (na região província canadiana do Quebéc), foi detido esta terça-feira, acusado de crimes de maus-tratos a animais.

 

De acordo com o mandado de detenção, divulgado pela Sociedade para a Prevenção da Crueldade contra Animais (SPCA, sigla em inglês), Norman Trahan é acusado de “deliberadamente causar aos animais e às aves mantidas em cativeiro dor, sofrimento e ferimentos desnecessários”.

 

É ainda acusado de “deliberadamente negligenciar ou não fornecer comida, água, abrigo e cuidados adequados” a cerca de 100 animais (entre os quais macacos, leões e tigres), que, entretanto, foram apreendidos, acrescenta a SPCA em comunicado citado pelo La Presse.

 

À luz do Código Penal canadiano, estes crimes são puníveis com penas de prisão de entre dois a cinco anos. A CBC News refere que Norman Trahan poderá também ficar proibido de deter qualquer animal.

 

Segundo a SPCA, é a primeira que um processo desta natureza é iniciado no Quebéc. A associação acredita que este caso poderá servir de exemplo.

 

 

Queixa de visitante

Numa conferência de imprensa realizada esta terça-feira nas instalações do zoo, Sophie Gaillard, da SPCA Montreal, explicou que a investigação teve início em 2018 na sequência da denúncia de um visitante. Em Outubro desse ano, foram apreendidas duas alpacas. Durante a investigação, foram descobertas as carcaças de quatro animais (dois tigres e duas aves).

 

Os animais agora confiscados estão a cargo da Human Society Internacional (HSI), uma organização não-governamental que irá tentar encontrar-lhes um novo lar. Em princípio, deverão ser transferidos para santuários no Canadá e nos Estados Unidos da América.

 

Ewa Demianowicz, da HSI/Canadá, referiu à CBC News que alguns animais não tinham acesso a água ou a comida adequada. Embora nenhum esteja em “perigo iminente”, alguns precisam de cuidados médico-veterinários.

 

Norman Trahan adquiriu o zoo em 1989, quando este era conhecido como Centro de Observação da Fauna.