EUA

Kentucky criminaliza sexo com animais

Quem tiver contacto sexual com um animal incorre numa pena de prisão que pode variar entre um e cinco anos. Ainda há cinco estados americanos onde a bestialidade não é ilegal
Bichos
Kentucky criminaliza sexo com animais
Kentucky criminaliza sexo com animais
A nova legislação do estado do Kentucky entra em vigor dentro de 90 dias (foto: Ivanov Good/Pixabay)

O Kentucky juntou-se esta semana ao grupo de estados americanos que proíbe a bestialidade. O governador Matt Bevin assinou, esta terça-feira, a lei que criminaliza a prática de sexo entre humanos e animais. O diploma, citado pelo Courier Journal, define contacto sexual como “qualquer acto praticado entre uma pessoa e um animal com o propósito de obter estímulo sexual, prazer sexual, violação ou ganhos financeiros”.

 

Nos EUA, apenas os estados do Wyoming, Novo México, Virgínia Ocidental, Havai e Washington D.C. ainda não criminalizaram a bestialidade.

 

Ao abrigo da nova legislação, quem praticar sexo com um animal incorre numa pena de prisão que pode variar entre um a cinco anos. Os condenados ficam proibidos de deter animais, viver em casas, trabalhar ou ser voluntário em locais onde existam animais, até cinco anos depois de cumprirem a pena. O diploma prevê que os criminosos sejam sujeitos a tratamento ou a aconselhamento.

 

Caso o animal abusado não seja propriedade do condenado, poderá ser devolvido ao seu legítimo dono.

 

O diploma agora aprovado teve por base uma proposta da senadora republicana Julie Raque Adams. Num e-mail enviado ao Courier Journal, a senadora sublinhou que a lei protegerá não só os animais dos abusos, mas também as mulheres e as crianças. “Está mais do que provado de que quem abusa sexualmente de um animal canaliza a sua violência para as mulheres e as crianças”.

 

Um inquérito realizado pela organização American Human, concluiu que em 88% das casas nas quais há registo de violência sobre crianças, os animais também são abusados. Em 2017, o FBI começou incluir nos seus registos os crimes de crueldade contra animais, incluindo a bestialidade.

 

A legislação entre em vigor dentro de 90 dias.