Polémica

Gatos de laboratório alimentados com carne de gato e de cão comprada na Ásia

Cientistas do Departamento da Agricultura dos EUA justificam a medida com a necessidade de estudar mais a fundo o parasita que causa a toxoplasmose
Bichos
Gatos de laboratório americano alimentados com carne de gato
Gatos de laboratório americano alimentados com carne de gato
Foi comprada carne de cerca de 400 cães e de mais de 100 gatos para realizar as experiências sobre a toxoplasmose

Os laboratórios americanos estão novamente envoltos em polémica. De acordo com a Organização Não Governamental (ONG) White Coat Waste Project, cientistas do Departamento da Agricultura americano compraram carne de cão e de gato no mercado asiático para alimentarem felinos saudáveis que mantém no laboratório. Aparentemente, este tipo de alimentação não fazia parte de qualquer experiência. A associação divulgou ainda que num laboratório em Beltsville, no estado do Maryland, foram dados restos cão aos gatos e injectada carne de gatos em ratos.

 

À NBC, o Departamento da Agricultura explicou que as experiências tinham como objectivo estudar diferentes tipos de parasitas que provocam toxoplasmose, uma doença infecciosa que pode atacar o cérebro, os pulmões e outros órgãos. O parasita é transmissível ao ser humano. No passado, o mesmo laboratório já tinha estado debaixo de fogo por infectar gatos saudáveis com o T. Gondii, o parasita que causa a toxoplasmose.

 

Nos testes agora divulgados, que terão sido realizados entre 2003 e 2015, foi utilizada a carne de 400 cães comprados na Colômbia, Brasil e Vietname, e de cerca de 100 gatos, oriundos da China e da Etiópia.

 

No relatório que divulgou esta terça-feira, a ONG critica o facto de os animais terem sido comprados no mercado asiático, o mesmo que o Congresso americano condenou através de uma resolução aprovada em 2018. Os senadores republicano Brian Mast e democrata Jeff Merkley já condenaram estas experiências.

 

Toxoplasmose

Segundo a NBC, o Departamento da Agricultura tem reproduzido gatos em laboratório desde 1982, e tem-nos alimentado com carne crua para infectá-los com o T. Gondii. Durante duas ou três semanas, os cientistas recolhem as suas fezes. Os felinos são depois mortos e os seus cadáveres incinerados. Os investigadores defendem a experiência com o facto de os gatos serem o único animal hospedeiro nos quais se produzem ovos do parasita.

 

Os Centros de Prevenção e Controlo de Doenças lembram que a toxoplasmose é uma das causas de morte por doença transmitida por alimentos nos Estados Unidos da América. De acordo com a NBC, estima-se que mais de 40 milhões de americanos são portadores do parasita, embora não tenham sintomas. Contudo, o T. Gondii pode causar graves problemas às mulheres grávidas e a pessoas cujo sistema imunitário esteja fragilizado.

 

Não é a primeira vez que os laboratórios americanos estão debaixo de fogo. Em Setembro de 2018, a Universidade da Califórnia Irvine admitiu que seis animais do seu laboratório morreram por negligência. Dois meses depois, veio a público a notícia de que o Departamento dos Assuntos dos Veteranos estava a realizar experiências com cães que implicavam a retirada de parte do cérebro.

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.