Abandono

Crise na Venezuela atinge também os animais de estimação

Aumentou o número de cães e de gatos abandonados com o êxodo de milhões de cidadãos. Há venezuelanos a matarem estes animais para se poderem alimentar
Bichos
Aumentou o número de animais abandonados na Venezuela, devido à crise
Aumentou o número de animais abandonados na Venezuela, devido à crise
Associações lembram que a ajuda humanitária deve chegar também aos animais (foto: Public Domain Pictures)

A crise política e económica que se vive na Venezuela tem também afectado os animais de estimação. Com o êxodo de mais de 3,5 milhões de cidadãos, o número de cães e de gatos abandonados aumentou em força. De acordo com a associação Voluntarios Proteccionistas, mais de três milhões de cães vivem agora na rua, à sua sorte. E as associações zoófilas não estão a conseguir a acudir a todos.

 

«A crise obrigou as pessoas a deixarem o país e a abandonarem as suas mascotes; outras abandonam-nas simplesmente porque não conseguem mantê-las», disse à Euronews Alicia Velasco, presidente da Voluntarios Proteccionistas, lembrando que a ajuda humanitária tem também de chegar aos animais.

 

“«É impossível manter um animal com um salário de 6 dólares quando um saco de ração para cães custa 50 ou mesmo 150. A comida para gatos custa entre 70 e 200 dólares», exemplifica a mesma responsável. Há também escassez de medicamentos veterinários e os que existem têm um preço muito elevado.

 

Segundo a Euronews, a subida da taxa de inflacção e a escassez de produtos alimentares tem levado alguns venezuelanos a caçarem estes animais para comerem.

 

Os activistas da causa animal desdobram-se em esforços para tentarem minimizar o impacto da crise. «Eu tomo conta de 17 cães e de 8 gatos, mas também tenho a minha família para manter», diz Alicia Velasco.

 

De acordo com a CNN, a polícia da Colômbia tem socorrido os animais que são abandonados junto à fronteira. Dezenas chegam desnutridos, feridos ou mesmo à beira da morte. Os agentes colombianos recolhem-nos e o médico veterinário da Polícia presta-lhes os primeiros cuidados, enquanto procuram um lar para eles.