Ciência

Quando é que os cangurus começaram a saltar?

Esta forma de locomoção permite-lhes percorrer grandes distâncias, o que é muito útil em habitats abertos, como os desertos e as planícies
Bichos
Cangurus começaram a saltar há cerca de 20 milhões de anos
Cangurus começaram a saltar há cerca de 20 milhões de anos
Estudo foi possível graças à descoberta de fósseis raros em Queensland na Austrália (foto: Alexandersr/Pixabay)

Era uma das grandes dúvidas dos cientistas, agora esclarecida graças à descoberta de fósseis raros desta espécie em Riversleigh, no noroeste de Queensland (Austrália). Os testes aos ossos revelaram que os cangurus começaram a saltar há cerca de 20 milhões de anos, 10 milhões de anos antes do que se pensava até agora.

 

As conclusões deste estudo foram publicadas na revista The Royal Society. Para chegarem a este número, os investigadores analisaram a forma e o tamanho dos ossos fossilizados dos dedos das patas traseiras e dos tornozelos. Com esta informação, calcularam a amplitude do movimento.

 

Quando compararam os resultados com os de cangurus actuais, que saltam e trepam, encontraram semelhanças. Verificaram, no entanto, que os seus antecessores conseguiam também caminhar. Essa capacidade terá sido perdida provavelmente devido às mudanças climáticas registadas há cerca de 10 milhões de anos.

 

Os cangurus são os únicos mamíferos vivos de grande porte a utilizar o salto, recorrendo às patas traseiras, para se deslocar. Esta forma de locomoção permite-lhes percorrer grandes distâncias, o que é muito útil em habitats abertos, como os desertos e as planícies, explicou à BBC Benjamin Kear, da Universidade de Uppsala, na Suécia.

 

«Tudo indica que é um animal extremamente bem-sucedido e adaptado ao seu ambiente e a uma série de habitats e ecossistemas e é por isso que os cangurus são tão bem-sucedidos hoje», acrescentou o mesmo investigador, um dos autores do estudo.

 

Para Benjamin Karr, o canguru é «um dos animais biologicamente mais estranhos e maravilhosos» que podemos encontrar.