Confisco

GNR de Leiria apreende três aves exóticas em casa particular

Mulher residente em Alfeizerão detinha os animais sem o registo obrigatório da CITES. Pode ter que pagar uma coima entre os 2000 e os 20 000 euros
Bichos
GNR de Leiria apreendeu três aves exóticas
GNR de Leiria apreendeu três aves exóticas
Os animais encontravam-se no anexo de uma casa em Alfeizerão quando foram detectados pela patrulha da GNR

Três aves exóticas foram apreendidas esta quinta-feira pela GNR numa casa particular em Alfeizerão, no concelho das Caldas da Rainha. A proprietária, uma mulher com 58 anos de idade, foi identificada.

 

Em causa estava a ausência da declaração ou registo da CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção).

 

Durante uma acção de patrulhamento, militares do Núcleo de Protecção Ambiental das Caldas da Rainha da GNR de Leiria detectaram as três aves exóticas no anexo de uma residência em Alfeizerão.

 

Tratavam-se de um papagaio diadema (Amazoba autumnalis), um aratinga de bando (Psittacara leurocophthalmus) e de um inseparável de Fischer (Agapornis fischeri).

 

De acordo com um comunicado da GNR, foi elaborado o respectivo auto de notícia por contra-ordenação e as aves foram apreendidas, tendo a sua proprietária ficado como fiel depositária.

 

A detenção de uma espécie exótica em cativeiro sem a respectiva declaração CITES é punível com uma coima mínima de 2000 euros e máxima de 20 000 euros.

 

A CITES (também conhecida por Convenção de Washington) tem como objectivo garantir que o comércio de animais e plantas não ponha em risco a sobrevivência da espécie no seu habitat natural.

 

Para evitar problemas com a justiça, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) aconselha os cidadãos a informarem-se se é necessária alguma licença para entrar no espaço europeu com espécimes (vivos ou mortos, suas partes, derivados e produtos) que consta da lista da CITES.