Fenómeno

Milhares de pessoas picadas por alforrecas na Austrália

Praias de Queensland foram invadidas por estes animais durante o fim-de-semana. Nove pessoas estão hospitalizadas, devido ao veneno
Bichos
Veneno libertado pelas alforrecas provoca irritação na pele e sensação de queimadura
Veneno libertado pelas alforrecas provoca irritação na pele e sensação de queimadura
Fenómeno deste fim-de-semana nas praias de Queensland deveu-se aos ventos fortes de Nordeste (foto: Diego Torres/Pixabay)

Entre 3000 a 5000 pessoas foram picadas por alforrecas este fim-de-semana nas praias australianas de Queensland. Só em 2019, segundo a Surf Life Saving Queensland, 9300 pessoas já receberam tratamento pelo mesmo motivo. Nove estão hospitalizadas.

 

De acordo com a CNN, durante o fim-de-semana, os nadadores-salvadores foram obrigados a fechar temporariamente várias praias por causa de uma invasão de alforrecas.

 

O fenómeno ter-se-á ficado a dever a ventos fortes vindos do Nordeste, que as empurraram para a costa. Embora a maioria se tenha afastado depois, muitos dos animais permaneceram algum tempo no areal.

 

As picadas de alforreca não são, geralmente, fatais. No entanto, segundo a SBS News, alguns banhistas sofrerem choques anafiláticos e precisaram de assistência médica.

 

Entre 1 de Dezembro de 2018 e este domingo, 22 282 pessoas procuraram assistência, devido à picada de alforreca em Queensland. No ano passado, esse número foi de 6831, avança o jornal Guardian.

 

A directora do Australian Marine Stinger Advisory Service, Lisa-ann Gershwin, admite que o número é “incomum”. “Os números que tenho visto variam entre os 25 000 e os 45 000 por ano para toda a Austrália”, disse.

 

 

O que fazer se for picado

As alforrecas (também conhecidas como medusas ou águas-vivas) são animais gelatinosos que podem ter diferentes tamanhos, formas e cores.

 

Os seus tentáculos libertam um líquido urticante que serve para paralisar pequenos animais dos quais se alimentam, ou se defenderem.

 

As alforrecas e as caravelas-portuguesas são também frequentes nas praias portuguesas durante o verão.

 

As picadas destes animais podem provocar irritação na pele, sensação de queimadura ou reacções ainda mais graves.

 

Caso seja picado por um destes animais, não esfregue ou coce a zona infectada para que o veneno não se espalhe.

 

Deverá lavar a zona afectada com água do mar (nunca água doce ou álcool) e retirar os tentáculos do animal, caso tenham ficado agarrados à pele, com a ajuda de uma pinça.

 

Confira aqui os conselhos da Autoridade Marítima Nacional.