Ameaça

População de renas reduzida a menos de metade em apenas 20 anos

São um dos símbolos do Natal, mas estão fortemente ameaçadas. Actualmente, existem apenas 2,1 milhões de renas em todo o mundo
Bichos
As renas estão classificadas como espécie vulnerável a nível mundial
As renas estão classificadas como espécie vulnerável a nível mundial
O aumento da temperatura atmosférica é a principal ameaça à sobrevivência desta espécie (foto: Natalia Kollegova)

São um dos símbolos da quadra natalícia. Segundo a tradição, são as renas que puxam o trenó do Pai Natal durante a distribuição de prendas na noite de 24 de Dezembro. Mas a realidade é mais dramática do que os quadros idílicos desta quadra festiva.

 

Em apenas 20 anos, a população mundial de renas ficou reduzida a menos de metade. Das 4,7 milhões que existiam em 1990, restam apenas 2,1 milhões. Esta espécie chegou a extinguir-se na Escócia no século X, tendo sido reintroduzida em 1952.

 

A rena está classificada como espécie vulnerável na União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, sigla em inglês). Se nada for feito, a situação tenderá a agravar-se.

 

«Algumas subespécies foram mais afectadas do que outras, como as renas da tundra, que perderam 73% do seu efectivo no Canadá», diz Don Russell, investigador no Yukon College (Canadá) e especialista nestes animais. «Na Rússia, as renas baixaram 55%. Globalmente, houve uma redução de 64%».

 

As alterações climáticas estão no topo da lista de ameaças. A Agência Americana Atmosférica e Oceânica refere, no seu relatório, que o Árctico está a aquecer a um ritmo «duas vezes mais rápido que o resto do mundo». No mesmo documento, assinala-se que a camada glacial do Pólo Norte é a «mais fina jamais observada nos últimos 30 anos».

 

Estes animais não estão habituados a temperaturas tão elevadas. Acabam por desorientar-se e ficar stressados, o que influencia de forma negativa a taxa de sobrevivência das renas mais jovens.

 

Há ainda a propagação de insectos, que lhes transmitem doenças. «Nas zonas onde há uma forte densidade populacional, as renas poderão ter dificuldade em encontrar alimento. Isso pode torná-las mais susceptíveis à contracção de infecções».

 

 

Alteração do habitat

As actividades humanas são também uma grande ameaça. O recuo da floresta boreal, devido à exploração mineira e à silvicultura, altera profundamente o habitat natural destes animais.

 

«O desenvolvimento industrial, além de dar acesso aos operadores que desenvolvem essas actividades, modifica as rotas de deslocação, o que desorienta as renas e reduz a sua capacidade de se alimentarem», explica Don Russell a sítio da Internet 30millinsdamis.fr

 

Também a caça tem uma quota-parte de responsabilidade, embora não seja a principal causa do declínio da população desta espécie.

 

«Os meios de transporte permitem aos caçadores ficarem em terra firme e de aceder mais facilmente às manadas», refere o mesmo investigador, que defende uma redução radical da caça.

 

Em algumas zonas, como no Alasca (EUA), a tomada de medidas permitiu recuperar a população desta espécie.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.