Crime

Homem ganhava dinheiro com vídeos em que aparece a agredir cães

Cidadão chinês de 30 anos de idade era filmado a apertar o pescoço aos animais, a colocá-los em frigoríficos ou a atingi-los com armas eléctricas
Bichos
chinês agredia os três cães e filmava
chinês agredia os três cães e filmava
Os três cães de raça poodle foram retirados ao agressor e colocados noutras famílias

Um homem residente no leste da China ganhava dinheiro com a publicação de vídeos em que aparecia a maltratar cães. Foi identificado por activistas dos direitos dos animais e publicamente envergonhado.

Segundo a imprensa local, Qiu Hengqing, de 30 anos de idade, colocava os vídeos em directo em sítios da Internet em que os assinantes pagavam entre 80 yuans (cerca de 10 euros) a 120 yuans (cerca de 15 euros) para terem acesso a um grupo fechado.

Nas gravações, foram identificados pelos menos três cães de raça poodle, entretanto resgatados. O homem era filmado a apertar-lhes o pescoço, a colocá-los no frigorífico, a forçá-los a comerem wasabi ou a beberem álcool ou a atingi-los com armas eléctricas (tasers). Em alguns dos vídeos ouvem-se os cães a choramingar.

Ao terem conhecimento do caso, defensores dos direitos dos animais da cidade de Qingzhou, na província de Shandong, conseguiram descobrir onde é que o homem mora e resgataram os três cães na segunda-feira.

Na frente da casa, colocaram uma faixa vermelha na qual se podia ler «Qiu Hengqing diabo abusador de cães, sangue por sangue», segundo o MailOnline.

Um dos 10 activistas envolvidos na operação de resgate disse aos jornalistas que o homem tinha sido mordido por um dos animais e que tinha querido vingar-se.

Qiu Hengqing terá admitido os maus-tratos aos cães e pediu desculpa pelo seu comportamento. Prometeu também cortar uma das mãos se alguma vez voltar a ser apanhado a agredir cães.

Ao MailOnline, Keith Guo, representante da PETA (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) na China, disse esperar que Qui Hengqing mantenha a sua promessa e nunca mais abusar de cães.

 

Legislação precisa-se

O mesmo responsável acrescentou: «As pessoas que abusam dos animais pelo lucro, por vingança ou diversão devem ser travadas. Ao mesmo tempo, esperamos que as empresas que gerem as plataformas de redes sociais sejam mais diligentes em denunciar e eliminar estas contas».

«Os peritos identificaram a crueldade contra animais como um sinal de psicopatia e um sinal de que a violência pode escalar no futuro», sublinhou. Keith Guo referiu também que a China precisa urgentemente de uma lei de protecção animal.

Em Setembro de 2009, activistas dos direitos dos animais e juristas colocaram em discussão uma proposta de Lei de Protecção Animal. No ano seguinte, o Conselho de Estado analisou um esboço da Lei para a Prevenção da Crueldade contra Animais.

Neste documento, eram propostas multas até 6000 yuan (cerca de 760 euros) e duas semanas de prisão para os culpados de crimes de crueldade contra animais. Até hoje, nenhuma legislação foi adoptada.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.