EUA

Chihuahua defende dona de ataque de urso preto na Pensilvânia

Tanto a dona como o cão (que curiosamente se chama «Bear») ficaram com vários ossos partidos. Autoridades lançaram caça ao urso
Bichos
Urso preto atacou mulher e cão na Pensilvânia
Urso preto atacou mulher e cão na Pensilvânia
Na Pensilvânia, há 20 000 ursos pretos e não há registos de que alguma vez tenham matado pessoas

Um cão de raça chihuahua chamado Bear (urso, em inglês) ficou gravemente ferido quando tentou defender a dona do ataque de um urso peto. O caso aconteceu na semana passada na zona rural de Muncy Creek Township, no estado americano da Pensilvânia, numa época do ano em que os ursos estão a hibernar.

Bear foi mordido várias vezes e ficou com o esterno e várias costelas partidas. A dona, Melinda LeBarron, de 51 anos de idade, foi também mordida, ficou com vários ossos partidos e sofreu diversas contusões e cortes. Foi hospitalizada em estado grave.

O ataque ocorreu pelas 18 horas de quarta-feira, quando Melinda saiu para passear Bear. Quando este ladrou, a dona olhou em volta para ver o que o tinha assustado. «Quando se apercebeu, já estava no chão a ser atacada», contou o filho, Trent LeBarron.

Segundo a imprensa, o urso preto terá arrastado a mulher cerca de 70 metros pelo quintal, atravessou uma estrada e entrou numa mata. Enquanto isso, o cão ia mordendo o urso, numa tentativa de defender a dona.

A determinada altura, o urso dirigiu a atenção a Bear, o que permitiu a Melinda subir a um pequeno arbusto. Aí, atirou um graveto para distrair o urso e finalmente dirigiu-se a casa, onde pediu ajuda. O cão regressou mais tarde, tendo sido encontrado a choramingar debaixo de uma cama.

 

Caça ao urso

Na sexta-feira, as autoridades lançaram uma caça ao urso com recurso a cães pisteiros. Se o animal for capturado, será avaliado pela Universidade da Pensilvânia.

«Embora ainda não se saiba o que terá causado este ataque, podemos afirmar com toda a certeza que estes ataques são extremamente raros», afirmou, em comunicado de imprensa, citado pelo jornal USA Today, o biólogo Mark Ternent, da Pennsylvania Game Commission.

Os guardas reforçaram a vigilância e percorreram as habitações para informar os habitantes do ataque e explicar as medidas de prevenção que devem tomar.

Segundo o sítio da Internet PennLive, neste estado americano existem cerca de 20 mil ursos pretos. Embora nesta altura do ano estejam a hibernar, não é raro ver um ou outro acordado em Dezembro ou mesmo no início de Janeiro.

Segundo Mark Ternent, as fêmeas grávidas são as primeiras a hibernarem, seguindo-se o resto da população. Mas há ursos que não hibernam de todo.

«A Pensilvânia tem uma grande população de ursos – cerda de 20 000 animais. Não é raro que os ursos apareçam em zonas residenciais, e as interacções entre pessoas e ursos normalmente ocorrem sem incidentes», referiu o mesmo biólogo.

Segundo a Pennsylvania Game Commission, não há registo de mortes causadas por ataques de ursos naquele estado. Na América do Norte, onde vivem cerca de 70 mil ursos pretos, terão sido mortas por estes animais 61 pessoas desde 1900.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.