Perigo

Rapariga levou inadvertidamente para casa um polvo venenoso

Polvo-de-anéis-azuis estava escondido numa das conchas que a menina apanhou numa praia em Perth, na Austrália. O veneno desta espécie é extremamente potente
Bichos
O veneno do polvo-de-anéis-azuis é muito poderoso
O veneno do polvo-de-anéis-azuis é muito poderoso
O veneno do polvo-de-anéis-azuis é de tal forma potente que com uma mordida pode matar até 26 adultos (foto: pen_ash/Pixabay)

Uma rapariga australiana levou para casa, sem o saber, um polvo-de-anéis-azuis (Hapalochlaena maculosa), cujo veneno é extremamente potente. Felizmente, ninguém foi mordido pelo animal.

De acordo com a imprensa local, o polvo estava escondido numa das conchas que a menina apanhou na praia de Coogee, em Perth, e levou para casa.

Quando a tia da rapariga começou a lavar as conchas, o animal surgiu do interior de uma delas. Isto porque são extremamente pequenos – não ultrapassam os 12 centímetros de comprimento.

O caso foi divulgado na página de Facebook do Coogee Beach WA Surf Life Saving Club no início deste mês.

«Uma rapariga estava na praia esta manhã em frente ao nosso clube a construir castelos de areia e a apanhar conchas. Felizmente, a tia dela estava a lavar o monte de conchas quando chegaram a casa quando o bicho emergiu. Eles são lindos… são uma mordida pode ser fatal», podia ler-se no texto, entretanto apagado.

Os polvos-de-anéis-azuis podem ser encontrados nas poças nas praias ou nos recifes de coral dos oceanos Pacífico e Índico. Segundo o Instituto Australiano de Ciências Marinhas, estes animais libertam uma substância química, a tetrodotoxina, que paralisa as vítimas. Estas devem receber cuidados médicos o mais rápido possível.

Na Austrália, são conhecidas duas mortes causadas por esta espécie de polvo. As vítimas ficam conscientes e com os músculos paralisados após a mordedura, acabando por morrer por falta de oxigénio.

 

Pescador mordido

À rádio 6PR, um antigo paramédico sublinhou que estes polvos são «absolutamente mortais». «Uma simples mordedura pode matar até 26 adultos», acrescentou.

Referindo-se a este caso em concreto, colocou a hipótese de o polvo estar atordoado pelo facto de ter estado sempre a ser agitado, quer durante o transporte para casa, quer quando a tia da rapariga estava a lavar as conchas.

«Ele podia ter saído da concha e tê-la mordido sem ela se aperceber», alertou.

Igual sorte teve Mitchell Ogg quando andava a pescar ao largo de Garden Island, também na Austrália, na sexta-feira. Quando puxou para o barco uma das suas armadilhas, não se apercebeu que dela saiu um polvo-de-anéis-azuis.

O animal caiu no convés, por onde Mitchell e o irmão andavam descalços. Sem se aperceber, acabou por pisá-lo e matá-lo. «Felizmente, o meu irmão pediu ajuda e levaram-me para o hospital», escreveu na sua página de Facebook.

Ao jornal Perth Now, recordou que sentiu uma picada como se fosse a de uma abelha logo acima dos dedos. Depois, começou a sentir um formigueiro no corpo, como se estivessem a espetar-lhe agulhas.

Mitchell Ogg teve muita sorte, segundo os médicos, pois a maioria das vítimas destes polvos não consegue sequer respirar.

Depois do sucedido, deixou um conselho a todos os pescadores: estejam extremamente vigilantes quando recolhem as armadilhas cheias, usem botas e luvas.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.