Campanha

Câmara de Oeiras promove campanha de adopção de animais abandonados

Imagens dos cães e gatos que estão para adopção responsável vão estar expostas em vários espaços comerciais e serão divulgadas no Facebook e no Instagram
Fátima Mariano
Câmara de Oeiras lança campanha de adopção de animais
Câmara de Oeiras lança campanha de adopção de animais
Várias figuras públicas e respectivos cães adoptados associaram-se a esta campanha da Câmara de Oeiras (foto: Fátima Mariano)

Com o lema «Procuro melhor amigo», a Câmara Municipal de Oeiras apresentou esta quinta-feira uma nova campanha de adopção responsável de animais abandonados. Um conjunto de acções que visa cumprir aquilo a que legalmente a autarquia está obrigada nesta área, mas também para dignificar os animais de companhia, como explicou Nuno Neto, vereador responsável pelo ambiente e serviço de veterinária.

O presidente da Câmara, Isaltino Morais, chamou a atenção para o duplo sentido do lema: não só os animais procuram um amigo, mas quem adopta também ganha um amigo. O autarca lembrou que sempre foi um objectivo do município e seu «ter uma política coerente para os animais».

Os cães e gatos que estão para adopção encontram-se à guarda do CROAMO (Centro de Recolha Oficial de Animais do Município de Oeiras) e do Centro de Apoio Animal. Durante a campanha, as suas imagens vão estar expostas em diversos espaços comerciais e cada uma delas tem um QR Code associado.

Este possibilitará a visualização de um vídeo no qual diversas figuras públicas partilham a sua experiência com animais adoptados e apelam à adopção responsável. A esta causa associaram-se personalidades como Rui Unas, Maya, Henrique Feist, Mónica Sofia e Rubim, algumas das quais estiveram presentes na cerimónia de apresentação, que se realizou no Palácio Marquês de Pombal, em Oeiras.

As imagens serão também publicitadas na página de Facebook «Oeiras Pelos Animais» e do Instagram «OeirasPelosAnimais».

 

Apoios a famílias carenciadas

O vereador Nuno Neto lembrou que além de campanhas regulares de adopção, a autarquia tem promovido também medidas que evitem o abandono. «Queremos que os animais saiam do CROAMO, mas queremos que continuem a ter uma vida boa. Não queremos que as famílias se vejam obrigadas a abandoná-los», sublinhou.

Consciente de que muitas vezes o abandono se deve a dificuldades financeiras das famílias, a Câmara assinou um protocolo com a Ordem dos Médicos Veterinários em 1 de Novembro de 2014 para a oferta de cheques veterinários aos munícipes mais carenciados. Desta forma podem beneficiar de cuidados básicos médico-veterinários e de esterilizações gratuitas.

Também o acordo com a associação Animalife tem permitido a distribuição gratuita de ração a famílias carenciadas residentes no concelho que tenham animais de estimação a seu cargo.

Câmara de Oeiras lança campanha de adopção de animais
Imagens dos animais que estão para adopção vão estar expostas em vários espaços comerciais (foto: Fátima Mariano)

Preparar a adopção

O Centro de Apoio Animal funciona no Jardim Municipal de Oeiras e disponibiliza cuidados médico-veterinários gratuitos aos gatos que pertençam a colónias de rua devidamente identificadas. No âmbito do programa RED/A – Recolha, Esterilização, Devolução/Adopção, são esterilizados anualmente 1750 gatos e adoptados cerca de 800 por ano, segundo dados da autarquia. As colónias estão a cargo de 269 cuidadoras.

Quanto ao CROAMO, está instalado no Bairro dos Navegadores, em Porto Salvo, tem m programa de sociabilização dos cães prévio à adopção desenvolvido em colaboração com a Pet B Havior. O objectivo é aconselhar os futuros adoptantes e resolver problemas comportamentais dos animais.

Ao jornal Os Bichos, Pedro Paiva, da Pet B Havior, explicou que é importante o adoptante consciencializar-se de que a sua vida vai mudar com a ida de um animal para casa.

«Tentamos primeiro perceber por que razão as pessoas querem adoptar e se estão preparadas para mudarem as suas rotinas», referiu. «Muitas vezes, a decisão de adoptar é tomada por impulso».

Uma vez resolvida esta questão, é importante ensinar os futuros donos a saberem comunicar com os animais. Pedro Paiva lembra que a segunda causa para o abandono animal é a dificuldade de interacção. Aconselha a quem queira adoptar um animal a visitá-los várias vezes no centro de recolha ou na associação e a passeá-lo antes de o levar para casa, para perceber se é o animal certo.

Uma vez em casa, todos os membros da família devem participar na educação do cão ou do gato e de serem responsáveis pelos seus cuidados básicos. «Só assim conseguimos baixar a probabilidade da ansiedade por separação», avisa.

1 Comentário
  1. Compartilhando boas acções…..

    https://osbichos.news/wp-content/uploads/2018/12/Oeiras.jpg

    Se também procuras um/a melhor amigo/a, aproveita esta boa ocasião, e passa um Natal muito feliz, na sua companhia <3

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.