Moda

Tigres e leões bebés cada vez mais populares como animais de companhia em França

Moda foi importada dos Emirados Árabes Unidos. É possível comprar um animal destes num circo por apenas 300 euros
Bichos
Leões bebés são cada vez mais populares em França
Leões bebés são cada vez mais populares em França
Muitas vezes, os animais apreendidos estão doentes ou feridos devido à falta de cuidados médico-veterinários adequados

Há cada vez mais cidadãos franceses que escolhem tigres e leões bebés como animais de estimação, apesar de ser ilegal. Em meados de Novembro, a polícia foi surpreendida pela presença de uma cria de leão no banco de trás de um veículo interceptado em Paris.

Algumas semanas antes, tinha sido descoberto um leão bebé num apartamento perto da capital francesa e uns tempos depois, foi encontrado um terceiro numa garagem em Marselha.

Já em Setembro, a associação Tonga Terre d’Accueil tinha denunciado às autoridades a presença de um tigre de apenas dois meses numa casa particular no norte de França. Baptizado Kibo, o felino foi transferido para o Jardim Zoológico de Saint-Martin-La-Plaine que pertence à associação.

A Tonga Terre d’Accueil é a única organização em França preparada para receber animais selvagens apreendidos nestas circunstâncias.

«O tráfico de animais selvagens está a tornar-se cada vez mais comum. Em 10 anos, recebemos 400 grandes felinos e 200 macacos”, contou ao jornal 20 Minutes Roman Caillaud, daquela associação.

À France TV, o médico veterinário Jérôme Catinaud referiu que tendo em conta o número de animais que tem sido apreendido, é legítimo pensar na existência de «um tráfico nascente que se está a organizar em torno da região de Île-de-France».

 

Moda importada

Segundo a Fondation 30 millions d’amis, é possível comprar um leão bebé num circo por apenas 300 euros. A presidente desta associação de protecção animal, Reha Hutin, explica que o fenómeno começou «há quatro ou cinco anos» e foi importado dos Emirados Árabes Unidos, onde «os ricos adoram pavonear-se com crias de animais selvagens».

Quando crescem, estes animais tornam-se perigosos e requerem grandes áreas e grandes quantidades de comida, o que muitas vezes não acontece. Muitas vezes, quando os animais são apreendidos, estão feridos ou doentes, por falta de cuidados médico-veterinários ou de higiene adequados.

Uma vez confiscados pelas autoridades, os animais são colocados em quarentena e tratados. A sua reintrodução na natureza nem sempre é fácil, devido ao tempo que viveram em cativeiro.

Recorde-se que o tráfico de animais selvagens é o terceiro negócio ilegal mais lucrativo do mundo, a seguir ao dos estupefacientes e das armas.

Em França, o Fundo Internacional para a Protecção dos Animais identificou mais de 1900 anúncios de venda de animais selvagens vivos (54%) ou de certas partes dos seus corpos ou produtos derivados (46%).

Na Grã-Bretanha, o problema é também preocupante. Um relatório da Born Free Foudation divulgado em Novembro revelou que existem cerca de 5000 animais selvagens nas casas dos britânicos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.