Lei

Cachorro pode enfrentar nove meses de prisão por ter mordido um polícia

O caso está a gerar uma onda de indignação no Reino Unido com milhares de pessoas a exigirem a sua libertação. Bungle tem apenas quatro meses de idade, mas é considerado um cão perigoso
Bichos
Bungle enfrenta nove meses de prisão
Bungle enfrenta nove meses de prisão
Polícia recusa dizer aos donos em que canil Bungle está. Há uma semana que não o vêem (Facebook)

Um cachorro pode passar nove meses de prisão por ter mordido a mão e o braço de um polícia, no Reino Unido. O caso, que ocorreu em Northamptonshire, está a gerar uma onda de indignação. Milhares de pessoas exigem a libertação do animal, de raça chow-chow, argumentando que ele apenas se defendeu.

Bungle, que tem apenas quatro meses de idade, fugiu de casa no sábado passado. Foi encontrado pela Polícia debaixo de um camião, assustado. Quando um agente o tentou agarrar, ele mordeu-o duas vezes na mão. Os donos acreditam que Bungle só reagiu assim porque estava assustado.

Ao abrigo da lei dos cães perigosos, de 1991, o cachorro foi apreendido e pode ficar sob custódia policial durante nove meses.
Especialistas em comportamento animal ouvidos pelo Daily Mail alertam que manter Bungle num canil longe da família pode afectar permanentemente o seu comportamento.

Nas redes sociais há quem argumente que os humanos têm penas mais leves por ofensas mais graves.

 

Polícia não recua

A Polícia, contudo, defende a sua posição. Em resposta, referiu que caso o cachorro tivesse mordido uma criança ou provocado um acidente rodoviário, a reacção da opinião pública seria diferente.

Um inspector explicou à imprensa: «O agente não ficou seriamente ferido, mas foi transportado ao hospital por precaução, para tomar antibiótico e a vacina anti-tétano».

«A segurança pública é a prioridade nestas situações: o dono não estava presente e os agentes consideraram que havia um risco contínuo, tanto para o cão como para quem estava no local», acrescentou.

 

Bungle em paradeiro desconhecido

David Hayes, o dono de Bungle, contou ao Daily Mail que o filho, de 15 anos de idade, está a sofrer com a situação e que teve que ser retirado das aulas quando soube que o cachorro tinha desaparecido.

Num grupo do Facebook entretanto criado e que conta já com mais de 4000 membros, David escreveu: «Lamentamos muito que Bungle tenha escapado pelos portões, e especialmente que um polícia tenha sido ferido em serviço quando tentava resolver a situação».

E acrescentou: «Mas sentimo-nos profundamente consolados por sabermos que não somos apenas nós a sentir que o resultado de tudo isto é grosseiramente draconiano e desproporcional».

Bungle foi levado para um canil no sábado, mas os donos não o puderam visitar. Dias depois, foi transferido para outro, mas a Polícia recusa-se a dar a sua localização à família.