Legislação

Corridas de galgos proibidas na Flórida a partir de 2021

Activistas dos direitos dos animais aplaudem a decisão. Associações de adopções de galgos estão preocupadas com o futuro destes cães
Bichos
Corridas de galgos proibidas na Flórida
Corridas de galgos proibidas na Flórida
Na Flórida funcionam 11 das 17 pistas de corridas de galgos que existem em todo o país

As corridas de galgos, uma das maiores atracções da Flórida, vão ser proibidas a partir de 2021. Na semana passada, 69% dos eleitores deste estado americano aprovou a Emenda 13, que prevê o fim progressivo destas provas até 2020. Uma decisão que agrada aos defensores dos direitos dos animais, mas não aos empresários do sector.

Durante as corridas, os cães são obrigados a correrem nas pistas atrás de coelhos mecânicos. Há anos que os activistas denunciam os maus-tratos a que os animais estão sujeitos, muitos dos quais acabam por se retirar da vida activa com sequelas graves.

Por seu lado, os proprietários das pistas e os treinadores sempre garantiram que os galgos são bem cuidados. Caso contrário, argumentam, eles não conseguiriam participar nas corridas.

Em Outubro, existiam 3700 galgos na Flórida. O número de cães desta raça é bastante flutuante, dependendo das pistas que estejam a funcionar.

 

Galgos com destino incerto

Na Flórida estão 11 das 17 pistas activas no país. Com a proibição das corridas, um outro problema se coloca: que destino vão ter os animais que competiam?

«Não há forma de saber quando é que as pistas vão fechar ou quantos cães ainda vão entrar no mercado […]. Estamos a trabalhar para encontrar novas casas para eles, a telefonar a médicos veterinários […] e a procurar pessoas que estejam disponíveis para irem à Flórida buscar cães», contou ao jornal New York Times Carol Becker, presidente da Greyts, um grupo que promove a adopção de galgos em Orlando.

A associação opôs-se à emenda aprovada na semana passada por considerar que os animais são bem tratados.

«Estamos a tentar evitar uma crise no caso de muitas pistas encerrarem ao mesmo tempo e não haver casas suficientes para acolher os animais», acrescentou a mesma responsável.

 

Opiniões dividem-se

Durante muitos anos, as associações protectoras dos animais apelidaram as corridas de galgos como um desporto cruel.

No sítio da Internet da GREY2K USA estão listadas uma série de denúncias: o confinamento dos cães durante 20 a 23 horas por dia, treino ao vivo, ferimentos e até mortes. Em alguns estados americanos, como no Indiana, as corridas de galgos são proibidas.

As associações de adopções de galgos estão contra a proibição das provas, preferindo apoiar as corridas responsáveis.

«Estou muito preocupado», disse ao Indy Star Terry Lohrman, presidente do núcleo de Indianápolis da Greyhound Pets of America. «Milhares de cães vão ficar sem casa e milhares de pessoas que trabalham nestas pistas vão ficar desempregadas. Alguns destes corredores de galgos participam há três ou mais gerações e não sabem fazer mais nada».

Esta associação recebe, trimestralmente, entre 10 a 12 galgos que se reformam. Com o fecho das pistas, o problema irá agravar-se, uma vez que não têm um abrigo onde possam colocar os animais. Por isso, estão a pedir famílias de acolhimento até os cães encontrarem um lar definitivo.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.