Controlo

Cidade chinesa criou espécie de carta por pontos para os donos dos cães

Quando os pontos se esgotam, a Polícia retira o animal ao dono, que só o pode recuperar depois de passar num exame. Por cada infracção, o dono perde pontos e recebe uma coima
Bichos
Donos de cães na China
Donos de cães na China
Passear o cão sem trela dá direito à perda de três pontos, de for a primeira vez, ou de seis, em caso de reincidência (foto: Miss_Summer/Pixabay)

As autoridades da cidade chinesa de Jinan criaram uma espécie de carta por pontos para os donos de cães. A cada um foram atribuídos 12 pontos, válidos por um ano, que vão sendo retirados quando é cometida alguma infracção relacionada com a circulação do respectivo animal no espaço público.

De acordo com a revista Slate, as regras a serem cumpridas vão das mais comuns (como o não deixar os cães nadar nas fontes públicas até à obrigação de apanhar os dejectos) até a outras mais apertadas.

Quando circulam em espaços públicos, os cães devem estar sempre acompanhados de uma pessoa com 18 ou mais anos de idade, que deve trazer sempre consigo a licença que o autoriza a ter o cão. Os animais devem andar sempre presos com uma trela que não exceda 1,5 metros de comprimento.

Em algumas zonas desta cidade da província de Shangdong, os «cães muito grande ou muito fortes» estão proibidos de viverem ou mesmo de circularem. Em Jinan, existem cerca de 100 mil cães.

Além da perda de pontos, os infractores ficam também sujeitos ao pagamento de coimas. Se o cão passear sem trela, o dono perde três pontos, se for a primeira vez, ou seis, caso seja reincidente. Terá também que pagar uma coima que varia entre os 200 e os 500 yuan (25 a 63 euros).

Quando o número de pontos de esgota, as autoridades podem confiscar o animal. Para poder recuperá-lo, o dono terá que passar num exame no qual lhe são colocadas diversas questões sobre os regulamentos que regem a circulação de cães na cidade.

A realização de boas acções, como trabalho de voluntariado em abrigos para animais, é recompensada com pontos extra.

 

Um cão por pessoa

Cada pessoa só pode ter um cão em seu nome. O animal tem que ser vacinado e registado. No momento do registo, é tirada uma fotografia ao cão e colocado um microchip. O dono recebe uma chapa com um QR Code, que deve estar sempre na coleira do animal.

Este QR Code permite aos agentes da autoridade, com o recurso a um aparelho próprio, saberem a raça, a idade, se o animal tem vacinas em atraso, e os dados pessoais do dono.

Desde que este sistema foi implementado, no ano passado, mais de 1400 donos de cães já foram penalizados, 122 dos quais perderam todos os seus pontos. De entre estes, 10 ainda não foram aprovados no exame, de acordo com a Polícia.

Esta espécie de carta por ponto parece estar a ter os resultados desejados. Segundo o jornal Sixth Tone, em Agosto deste ano, 80% dos cães já eram passeados à trela (nos anos anteriores, a percentagem era de menos de 20%). Em 2017, o número de queixas devido ao ladrar ou a mordidas diminuíram 65% quando comparado com o ano anterior.

A China tem registado um grande aumento do número de cães registados (mais de 50 milhões), assim como do volume de negócios a eles associados (tosquia, alimentação, serviços funerários, etc.).

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.