Reconhecimento

Associação ÂNIMAS recebe mais uma certificação internacional

É a única entidade portuguesa reconhecida pela Animal Assisted Intervention International para dar formação a duplas de intervenções assistidas por animais
Fátima Mariano
Associação Ânimas
Associação Ânimas
A associação ÂNIMAS ministra cursos de Intervenções Assistidas por Animais desde 2009 (foto: Associação Ânimas)

A ÂNIMAS – Associação Portuguesa para a Intervenção com Animais de Ajuda Social acaba de obter a certificação da Animal Assisted Intervention International na área da formação. É a única entidade em Portugal reconhecida a nível mundial como formadora de duplas de Intervenções Assistidas por Animais (IAA).

As IAA consistem num conjunto de actividades desenvolvidas com a participação activa de animais. Dividem-se dois tipos: as terapias, que têm como objectivo melhorar as funções físicas, cognitivas, comportamentais e/ou sócio-emocionais; e as de educação, cuja finalidade é melhorar os resultados escolares, as capacidades sociais e a função cognitiva dos alunos.

Na ÂNIMAS, os cursos têm vindo a ser ministrados desde 2009, referiu ao jornal Os Bichos Abílio Leite, secretário-geral da associação. Habitualmente, são aceites 12 duplas (binómio humano-animal), mas este ano, excepcionalmente, foram aceites 14.

A procura deste curso tem vindo a aumentar. «Este ano, ficaram de fora o dobro dos candidatos que aceitámos», revela o mesmo responsável.

Os candidatos têm que ser maiores de idade e ser detentores do cão há mais de seis meses. O animal deve ter mais de um ano de idade, microchip, vacinação em dia e um documento do médico veterinário que ateste a sua robustez física.

Não são aceites cães que tenham já tido treino pessoal ou que pratiquem desportos, como o mondioring. «Mesmo que nos garantam que ele só morde ao comando, não podemos correr o risco de alguém, inadvertidamente, dar esse comando», explica Abílio Leite.

 

Exame prévio

Antes da admissão no curso, a dupla é avaliada e pode chumbar logo nesta fase: o candidato é entrevistado e o temperamento do cão é testado. «Somos acérrimos defensores do bem-estar animal, mas temos que ver como é que se comporta numa situação de stress», diz o secretário-geral da ÂNIMAS.

Até agora, os cursos têm tido uma duração de 150 horas de aulas teóricas e práticas, repartidas por oito sábados, mas no próximo ano, pode aumentar, de modo a permitir mais tempo de aulas práticas e abordar temas como a ética e os cuidados paliativos.

Só são admitidos ao exame prático os cães que passarem no teste realizado por um médico veterinário e que tenham seguro de acidentes de trabalho. «Se forem nossos sócios, nós oferecemos o seguro», refere Abílio Leite.

Fundada em 2002, a ÂNIMAS é uma associação sem fins lucrativos que visa a cedência gratuita de cães de assistência, a promoção de programas de Intervenções Assistidas por Animais e a realização de acções de formação e de trabalhos de investigação científica.

A associação é membro da ADEu (Assistance Dogs Europe) e da ADI (Assistance Dogs International), que revalidou este ano a credenciação da ÂNIMAS na área dos cães de assistência.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.