Biodiversidade

60% dos animais vertebrados desapareceram da Terra nos últimos 40 anos

As actividades desenvolvidas pelo Homem são as principais ameaças à sobrevivência das espécies. Na América Central e do Sul, a biodiversidade caiu 89% entre 1970 e 2014
Bichos
Animais vertebrados desaparecem
Animais selvagens desaparecem
Deflorestação, caça ilegal, poluição e alterações climáticas são as principais ameaças (foto: Wen Photos/Pixabay)

Nas últimas quatro décadas, cerca de 60% dos animais selvagens desapareceram do planeta. O grito de alerta foi lançado esta manhã pela organização não governamental World Wildlife Fund (WWF), num relatório intitulado Planeta Vivo. A principal causa para a redução da biodiversidade são as actividades humanas, o que levou o director-geral da WWF, Marco Lambertini, a pedir «um novo acordo global entre a natureza e os Homens».

Para realizar este estudo, a WWF contou com o apoio de 40 universidades e várias organizações intergovernamentais, que analisaram as populações de mais de 4000 espécies de vertebrados. O retrato é bem negro. Entre 1970 e 2014, a população de vertebrados (mamíferos, peixes, aves, anfíbios e répteis) diminuiu 60%. De acordo com este relatório (realizado a cada dois anos), a única população de vertebrados que continua a crescer é a dos humanos.

Nos oceanos, 31,4% das populações de peixes estão sobreexploradas. Nos lagos e rios, a situação é ainda mais alarmante: o número de animais diminuiu 83%. A América Central e do Sul são as áreas geográficas mais afectadas. Aqui, a biodiversidade caiu 89%.

 

Pressão do Homem

A maior pressão sobre os ecossistemas e a biodiversidade é exercida pela expansão da agricultura. Segundo referiu ao jornal Le Figaro Arnaud Gauffier, da WWF-França, «a agricultura sozinha é responsável por 70% da deflorestação global».

Apenas um quarto da área terrestre está, neste momento, livre do impacto da actividade humana. Em 2050, segundo o mesmo documento, essa percentagem será apenas de 10% se nada for feito até lá. «Neste momento, a destruição da natureza é o preço a pagar pelo desenvolvimento, e não pode continuar a ser assim», sublinhou, por seu turno, Tony Juniper, director executivo da WWF, ao jornal Independent.

Além da perda de habitat, a caça ilegal, a poluição e as alterações climáticas também contribuem fortemente para a quebra das populações de animais vertebrados. «Precisamos de um novo acordo internacional, de um novo acordo global para a natureza, para que os países possam combater estas causas», acrescentou Tony Juniper.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.