Legislação

Polícias da Pensilvânia autorizados a resgatar animais de carros em dias de muito calor

Agentes poderão fazê-lo caso sintam que o cão ou o gato corre risco de vida e o dono não seja localizado. Não serão responsabilizados pelos danos provocados nas viaturas
Bichos
Polícias da Pensilvânia autorizados a resgatar animais
Polícias da Pensilvânia autorizados a resgatar animais
Seis minutos no interior de um carro em dias de muito calor é o suficiente para causar a morte de um animal

O senado federal da Pensilvânia (EUA) aprovou, na semana passada, uma lei que permite à Polícia retirar animais do interior de veículos em dias de muito calor. Caso o agente considere que a saúde ou mesmo a vida do cão ou do gato esteja em perigo, e se não conseguir localizar o dono, poderá fazê-lo sem ser responsabilizado pelos danos provocados.

Depois do resgate, terá que deixar num local bem visível da viatura uma nota indicando o seu nome e o local para onde o animal foi transportado. Este deverá ser rapidamente encaminhado para um hospital ou clínica veterinária para ser observado.

A Pensilvânia é o 29.º estado americano a aprovar uma lei sobre esta matéria, segundo o sítio da Internet Penn Live. Contudo, as novas regras apenas se aplicam a elementos das forças de segurança, dos serviços de emergência ou da protecção animal. Caso um civil testemunhe uma situação destas, terá que alertar as autoridades, não devendo agir por conta própria.

 

Calor fatal

As alterações à lei contaram com o apoio da Associação de Médicos Veterinários da Pensilvânia e da Federação dos Clubes Automóveis da Pensilvânia. A nova legislação entrará em vigor 60 dias depois de o governador do estado a promulgar.

De acordo com a organização Human Society dos Estados Unidos, nos dias em que a temperatura atmosférica é muito elevada, o interior dos veículos pode atingir os 37º C em apenas 10 minutos. Basta um animal permanecer seis minutos no interior da viatura, mesmo com a janela aberta, para sofrer um golpe de calor, falência de vários órgãos ou mesmo morrer, como o jornal Os Bichos já noticiou.

O mesmo diploma legal estabelece penalidades para o dono do cão que mate, mutile, torture ou desfigure um cão de serviço sem ter sido provocado.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.