Ciência

Frutos “comunicam” com os animais através das cores

Estudo demonstra que a cor dos frutos evoluiu para corresponder com a forma como os animais as percepcionam, levando-os a comerem-nas
Bichos
Frutos comunicam com os animais através das cores
Frutos comunicam com os animais através das cores
Os macacos tendem a comer frutos de cor verde, enquanto as aves preferem os vermelhos (foto: Alexas_Fotos/Pixabay)

Desde o final do século XIX, os cientistas especulavam que a cor dos frutos era um meio de comunicação entre as plantas e os animais. Uma tese confirmada agora por um estudo publicado na revista Biology Letters: a cor dos frutos evoluiu ao longo do tempo para levar determinados animais a comê-los. Por exemplo, os primatas tendem a comer frutos verdes, enquanto as aves preferem os vermelhos.

Segundo os autores do estudo, esta evolução teve em conta a forma como os diferentes animais vêem. Embora os olhos dos seres humanos tenham três cones, cada um sensível a diferentes comprimentos de onda da luz, os da maioria dos mamíferos tem apenas dois. As aves, por seu turno, têm quatro, o que lhes permite ver gamas de cores que nós não vemos. Ou seja, um fruto que para os seres humanos parece ser preto, para as aves, pode ter outra cor.

“Com a excepção de um punhado de outros primatas, nenhum outro animal vê a cor da mesma forma que nós”, disse ao Daily Mail Kim Valenta, professora assistente de Antropologia Evolutiva da Universidade Duke (EUA) e co-autora do estudo.

 

Frutos adaptaram-se

Para realizar esta investigação, Omer Nevo, da Universidade de Ulm (Alemanha), e os colegas recolheram dados sobre a reflectância de frutos maduros e folhas de 97 espécies de plantas existentes em parques nacionais do Uganda e de Madagáscar.

Durante a pesquisa, verificaram que os frutos comidos pelos macacos tinham uma maior reflectância na parte verde do espectro, enquanto as aves preferiam os que reflectiam mais o vermelho. Já os lémures do Parque Nacional Ranomafana, em Madagáscar, apenas vêem o espectro azul-amarelo (não vêem vermelho, nem verde).

Os resultados desta investigação suportam a hipótese de que as plantas e os seus “jardineiros” evoluíram juntos. Uma vez que os animais defecam noutros locais que não aqueles onde se alimentam, ajudam a dispersar as sementes das plantas, permitindo-lhes reproduzirem-se.

Uma das relações mais conhecidas é a dos elefantes das florestas do Parque Nacional Kibale, no Uganda, e da Balanites wilsoniana, uma árvore de fruto existente na África ocidental e central, destaca o New York Times. Os elefantes são os únicos animais que conseguem comer os seus frutos e defecar as suas sementes.  Kim Valenta afirma que esta árvore não consegue reproduzir-se sem esta ajuda dos paquidermes.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.