Lei

Petição pede o fim de animais de pecuária em gaiolas na União Europeia

De acordo com a organização Compassion in World Farming, em Portugal, 93% das galinhas, 96% dos coelhos e 88% dos porcos vivem enclausurados
Bichos
Petição contra animais de pecuária em gaiolas
Petição contra animais de pecuária em gaiolas
Na União Europeia, cerca de 370 milhões de animais vivem em gaiolas (foto: Pixabay)

Esta quarta-feira, 130 associações de defesa do consumidor e de protecção dos direitos dos animais lançaram uma petição exigindo o fim da criação de animais de pecuária em gaiolas na União Europeia. Se o documento conseguir recolher pelo menos um milhão de assinaturas, a Comissão Europeia terá que se pronunciar sobre o assunto, avança o jornal francês Le Parisien.

No espaço europeu, todos os anos nascem e vivem em gaiolas cerca de 370 milhões de animais de várias espécies. A título de exemplo, os promotores da petição referem que mais de 90% das porcas são presas nestes equipamentos no momento do parto e durante o tempo de amamentação (ou seja, duas vezes por ano). A medida é tomada para evitar que a porca esmague os leitões com o seu peso. As crias vivem em gaiolas colocadas ao lado, que lhes permite mamar através das grades.

“As explorações industriais estão de tal forma sobrelotadas que precisam de imobilizar os animais que acabaram de dar à luz”, sublinhou, ao mesmo jornal, Claire Hincelin, da associação Compassion in World Farming.

 

Mudanças, precisam-se

De acordo com a organização Compassion in World Farming, em Portugal, 93% das galinhas, 96% dos coelhos e 88% dos porcos vivem enclausurados. Nas gaiolas, as porcas não se conseguem virar, as galinhas não têm a possibilidade de bater as asas e os coelhos não podem saltar, acusam.

Ghislaine Jançon, da Ordem dos Médicos Veterinários francesa, recordou que “os regulamentos europeus já evoluíram de modo a permitir que os animais expressem o seu comportamento natural”. Desde 2012, as gaiolas para as galinhas poedeiras têm que ter espaço suficiente para estes animais possam construir um ninho e empoleirarem-se.

Alguns países, decidiram antecipar-se a uma eventual nova regulamentação europeia, segundo Le Parisien. O Luxemburgo proibiu galinhas poedeiras em gaiolas, e a Áustria e a Alemanha seguirão o exemplo em 2020 e 2024, respectivamente. No Reino Unido e na Suécia, as porcas já não são colocadas naqueles equipamentos na altura do parto, nem para amamentarem. A Áustria proibiu as coelheiras em 2012 e a Bélgica fá-lo-á em 2025

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.