Ameaça

Baleia-jubarte bebé apanhada numa rede utilizada para afastar os tubarões das praias australianas

Programa de controlo de tubarões no estado de Queensland tem cerca de 50 anos. Governo local quer impedir aproximação das pessoas às redes, o que impedirá a captura de imagens de animais presos
Bichos
Baleia-jubarte presa em rede
Baleia-jubarte presa em rede
Operação de resgate da baleia-jubarte demorou duas horas (foto: McLachlan/Human Society International/Australian Marine Conservation Society)

Uma cria de baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) foi encontrada na manhã desta terça-feira dentro de uma rede utilizada para afastar os tubarões das praias australianas. À sua volta, a mãe nadava ansiosa. O alerta foi dado por membros da Human Society International e da Sociedade Australiana para a Conservação Marinha. O animal foi libertado por uma equipa de resgate ao fim de duas horas.

O incidente aconteceu junto à praia de Greenmount, em Gold Coast, no estado de Queensland. Na quinta-feira, segundo o jornal The Guardian, um tubarão-martelo-recortado (Sphyrna lewini) morreu enrolado numa rede na mesma zona.

Estes dois casos aconteceram numa altura em que o governo de Queensland se prepara para criar uma zona de exclusão de cerca de 20 metros à volta destes equipamentos. Caso a emenda à lei seja aprovada, será muito difícil continuar a capturar imagens de animais marinhos presos nas redes, queixam-se as associações de protecção ambiental.

Ao jornal Echo, Lawrence Chlebeck, da Human Society International, referiu que as imagens da baleia-jubarte bebé presa na rede «deveriam ser o suficiente para o governo de Queensland remover as redes». «Quantos animais mais vão sofrer nestas redes antes de o governo adoptar medidas mais eficazes, menos letais?», questiona.

 

Escrutínio público

Os activistas dos direitos dos animais consideram que a zona de exclusão que está a ser estudada não tem como objectivo garantir a segurança, mas uma táctica para manter longe do escrutínio público o abate de animais marinhos.

«As nossas filmagens de uma baleia-jubarte presa nas redes teriam sido ilegais se a zona de exclusão em torno destes equipamentos já estivesse em vigor», disse, por seu turno, Leonardo Guida, da Sociedade Australiana para a Conservação Marinha.

De acordo com este especialista, um inquérito realizado recentemente pela comunicação social revelou que o programa de controlo de tubarões em Queensland «é profundamente impopular junto do público, mas o governo continua a capturar e a matar tubarões em todo o estado».

O programa de controlo de tubarões em Queensland tem mais de 50 anos e consiste na colocação de anzóis com iscos e de redes para capturar estes animais. No ano passado, o governo deste estado rejeitou uma recomendação do Senado para que o programa fosse extinto.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.