Polémica

Financiador de campanhas de protecção animal fotografado com troféus de caça

Multimilionário sul-africano, que doa dinheiro para projectos de conservação da natureza, surge em várias imagens junto aos cadáveres de vários animais empunhando uma espingarda
Bichos
caça de elefantes
caça
Os elefantes africanos são considerados uma espécie vulnerável pela União Internacional para a Conservação da Natureza

Um multimilionário sul-africano que colabora com projectos de conservação da vida selvagem foi fotografado junto aos cadáveres de vários animais que caçou em África. O caso está a gerar polémica num momento em que cresce o debate sobre o facto de nos países em desenvolvimento a legalização da caça servir para financiar programas de conservação da natureza.

Mark Bristow, de 59 anos idade, proprietário da Randgold Resources (empresa de exploração mineira que fundou em 1995 no Mali), surge em várias imagens publicadas na newsletter e no sítio da Internet do operador turístico Hunters & Guides Africa com os corpos de um antílope, gazela, leão, búfalo, zebra, elefante e hipopótamo, noticia o jornal Independent.

Nas imagens, que terão sido tiradas entre 2005 e 2014, o empresário surge junto aos cadáveres empunhando uma espingarda. Recorde-se que os leopardos e os elefantes africanos são espécies vulneráveis, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, sigla em inglês).

 

Empresa defende a caça

Desde 2014, a empresa de Mark Bristow já doou meio milhão de dólares (cerca de 435 mil euros) para campanhas de preservação de elefantes e desde 2016, colabora com um projecto de conservação destes animais no Mali. A Randgold Resources também apoia financeiramente a Pantera, uma associação que trabalha para salvar estes felinos e na qual Mark Bristow ocupa um lugar no Conselho de Preservação.

A empresa já veio publicamente defender o seu fundador. Ao jornal The Telegraph, referiu: «A caça legal e regulada pode e traz benefícios para a conservação da vida selvagem e para as comunidades indígenas que convivem com os animais selvagens».

«Liderada por Mark Bristow, a Randgold Resources tem investido num conjunto de programas de conservação da biodiversidade nos países onde opera… e tem reunido profissionais da conservação e cientistas para que estes desenvolvam formas de a indústria mineira em África restaurar a biodiversidade do continente», acrescentou.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.