Biodiversidade

Descobertas 37 novas espécies de aranhas na Austrália

Mais de 80 cientistas e voluntários passaram uma semana à procura de novas espécies de animais e plantas no parque nacional Cooloola Coast, em Queensland
Bichos
Novas espécies de aranhas
aranhas
Algumas das espécies descobertas são apenas visíveis ao microscópio, de tão pequenas que são (foto: Peggychoucair/Pixabay)

Em apenas uma semana, foram descobertas 37 novas espécies de aranhas no parque nacional Cooloola Coast, em Queensland (Austrália). Os cientistas acreditam que ainda há mais por conhecer. A identificação destas espécies foi feita durante o Cooloola Coast, uma iniciativa promovida pela Fraser Island Defenders Organization e pela entidade gestora daquela reserva natural.

Durante uma semana, em Agosto, mais de 80 cientistas e voluntários vasculharam aquela área à procura de novas espécies de animais e de plantas. «Foi um grande exemplo de ciência cidadã, com pessoas sem qualquer conhecimento sobre a matéria a auxiliaram os especialistas», explicou John Sinclair, o responsável pela campanha, à ABC.

Algumas das espécies descobertas são apenas visíveis ao microscópio, de tão pequenas que são, mas todas são importantes para o ecossistema australiano. Robert Whyte, um dos investigadores envolvidos nesta acção, dá como exemplo uma espécie com apenas 1,14 milímetros de comprimento, que foi baptizada de Belzebu.

Para o mesmo investigador, a mais bonita é uma aranha-caranguejo (Heteropoda venatoria) com cinco centímetros de comprimento. O seu nome deve-se ao facto de esta espécie poder caminhar de lado, como os caranguejos.

 

Veneno não fatal

Foi ainda descoberta uma nova espécie de Orthobula, que depois de validada cientificamente, poderá aumentar para 79 o número de famílias de aranha na Austrália. «Antes de serem oficialmente reconhecidas pelo catálogo mundial de aranhas, terão que ser objecto de um artigo científico publicado numa revista respeitada e que recorre a revisores científicos», explicou Robert Whyte.

O mesmo cientista admitiu ter ficado surpreendido com o número de novas espécies encontradas em tão pouco tempo, «o que indicia que esta área é ecologicamente muito rica».

Embora a maioria das aranhas produza veneno para caçar as presas, este não é perigoso para os seres humanos. «Nenhuma é sequer remotamente perigosa» sublinhou Robert Whyte.

A próxima edição do Cooloola BioBlitz está marcada para Maio. «Estas 37 espécies são apenas uma fracção das que existem», referiu John Sinclair. «Há muitas mais para serem descobertas».

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.