Insólito

Francês vive com 400 répteis e anfíbios numa casa em Nantes

Herpetólogo de 67 anos começou a reunir os animais há cerca de duas décadas. Um dos jacarés, com dois metros de comprimento, dorme com ele na cama
Bichos
Francês vive com répteis

Um francês de 67 anos de idade vive com 400 animais de diversas espécies numa casa em Coueron (Nantes), numa das margens do rio Loire. Um deles, um jacaré com cerca de dois metros de comprimento, dorme com ele na cama. Philippe Gillet, herpetólogo (especialista em répteis e anfíbios) de profissão, começou a reunir estes insólitos companheiros há cerca de duas décadas, conta o jornal canadiano La Presse.

De entre os animais com os quais partilha a casa encontram-se tarântulas (Theraphosidae), cobras cascavéis, lagartos (Lacertilia), pítons (Python) e tartarugas (Testudines). Dois dos habitantes mais imponentes são Ali e Gator, um casal de jacarés resgatado de uma quinta de produção de couro. Os restantes, segundo o próprio Philipe Gillet, eram animais de estimação abandonados ou que lhe foram oferecidos.

“Quando começamos a conhecê-los, podemos pedir-lhes que venham ter connosco e comer qualquer coisa, por exemplo”, explicou à agência de notícias Reuters. “É injusto tratar estes animais da forma como temos vindo a tratá-los só porque não os compreendemos. Como não os compreendemos, odiamo-los, pensamos que são horríveis”.

 

Antigo caçador

De acordo com La Presse, em tempos, este herpetólogo foi caçador. A determinada altura da sua vida, decidiu dedicar-se à protecção da natureza e a desenvolver projectos de educação ambiental. Fundou a associação Inf-Faune, que todos os anos organiza exposições temáticas e pedagógicas em centros comerciais franceses com o intuito de desmistificar algumas crenças relacionadas com os répteis, os anfíbios e os artrópodes.

Philippe Gillet assegura que tem todas as licenças necessárias para manter e transportar estes animais em segurança. As cobras mais perigosas, por exemplo, são mantidas numa sala com porta dupla.

Ao mesmo jornal, este francês garantiu que os habitantes da aldeia onde vive o visitam regularmente para ver os animais de perto. No entanto, os bombeiros estão alertados para não entrarem em sua casa, mesmo em situações de grande emergência.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.