Campanha

Rodrigo Guedes de Carvalho embaixador de campanha a favor da adopção de animais

Iniciativa da Provedoria dos Animais de Lisboa foi lançada no domingo e irá promover, entre outras, acções contra o abandono e os maus-tratos a animais
Fátima Mariano
adopção
adopção
Esterilizar, adoptar e denunciar são as palavras de ordem da provedora dos Animais de Lisboa (foto: Mrs Brown/Pixabay)

O jornalista da SIC Rodrigo Guedes de Carvalho é o embaixador da campanha «Todos contra o abandono, todos pela adoção» lançada pela Provedoria dos Animas de Lisboa no domingo, dia em que entrou em vigor a lei que proíbe a eutanásia de animais nos Centros de Recolha Oficial (CRO) como método de controlo das populações errantes.

De acordo com a provedora, Marisa Quaresma dos Reis, a escolha de Rodrigo Guedes de Carvalho foi «óbvia». «É conhecida a sua sensibilidade para a causa animal. É um ser humano e profissional muito respeitado e com grande visibilidade. Os animais precisam de alguém como o Rodrigo para lhes dar voz. O convite foi aceite com entusiasmo, o que também nos dá a certeza de que fizemos o convite à pessoa certa», explicou ao jornal Os Bichos.

A campanha pretende sensibilizar a população «de forma optimista e positiva» para a problemática do abandono e dos maus-tratos a animais. Marisa Quaresma dos Reis considera que «todos nós» temos o dever de contribuir para que a lei que vigora desde domingo «seja o sucesso que todos desejamos que seja».

«Temos de contribuir esterilizando os nossos animais e os animais errantes, adoptando animais acolhidos em vez de os comprar e não sendo brandos com os abandonos e maus tratos a animais», sublinhou.

 

«Todos somos provedores dos animais»

Questionada sobre se a Lei n.º 27/2016, de 23 de Agosto, vai agrava o problema dos animais errantes, a provedora dos Animais de Lisboa refere que esta «vai ter as consequências que a sociedade desejar que ela tenha». «Não basta responsabilizar o Estado e as autarquias, privilegiar a adopção dos animais que enchem os CRO e as associações», diz. «Esterilizar, adoptar e denunciar. Estas são as palavras de ordem para os tempos que se avizinham».

Marisa Quaresma dos Reis considera que o aumento do número de cães e gatos abandonados se deve, «acima de todas as outras razões», à «falta de uma estratégia de educação e sensibilização eficaz, que tem que começar na infância».

No cargo desde Dezembro de 2017, a provedora acredita que fechará o primeiro ano de mandato com os objectivos principais atingidos. «Há sempre dificuldades, atrasos na concretização dos projectos, há, claro, muito por fazer. Mas graças à grande receptividade da sociedade civil, ao grande trabalho feito em conjunto com as associações, tem-se conseguido fazer um trabalho do qual julgo que os animais muito beneficiam. Tenho de agradecer acima de tudo às associações e particulares que ajudam o trabalho da Provedoria. Porque, como sempre digo, provedores dos animais somos todos nós», sublinha.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.