Reprodução

Nasceu um panda-vermelho no Jardim Zoológico de Lisboa

Espécie está classificada como «em perigo» na natureza. No próximo sábado, os visitantes do zoo vão poder conhecer melhor esta espécie
Bichos
panda-vermelho

Uma cria de panda-vermelho (Ailurus fulgens) nasceu no Jardim Zoológico de Lisboa no dia 11 de Junho, anunciou a instituição esta segunda-feira. Trata-se de uma espécie classificada como «em perigo» pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, sigla em inglês).

O anúncio é feito na semana em que se assinala o Dia Internacional do Panda-Vermelho, que será no sábado. Nesse dia, pelas 15.40 horas, os educadores do zoo percorrerão o recinto de bicicleta eléctrica para contar aos visitantes curiosidades sobre esta espécie.

O panda-vermelho é característico das florestas de bambu e florestas tropicais em altitude da região dos Himalaias e Sul da China. A principal ameaça a esta espécie é a diminuição do seu habitat natural, a caça e a consanguinidade, consequência da fragmentação do seu ecossistema, sobretudo em prol de áreas de cultivo.

Este nascimento permite ao Zoo de Lisboa reforçar a sua participação no Programa Europeu de Reprodução (EEP) desta espécie.

 

Bambu é o principal alimento

A reprodução do panda-vermelho (Ailuropoda melanoleuca) é bastante complexa. Os machos e as fêmeas encontram-se apenas para acasalar, num espaço de tempo limitado e compreendido entre Janeiro a Março. A fêmea só está receptiva ao acasalamento uma vez por ano, durante um curto período de 12 a 36 horas, em que a ovulação é induzida pela cópula. A responsabilidade das crias é inteiramente da progenitora.

Tal como o panda-gigante, o panda-vermelho alimenta-se principalmente de bambu – cerca de 80% da sua alimentação – e tem um falso polegar (uma extensão do osso sesamóide), que utiliza para arrancar as folhas do bambu, que são muito pouco nutritivas. Por essa razão, podem suplementar a sua dieta com frutos, raízes, ovos e pequenos lagartos. Tem ainda uma classificação taxonómica peculiar, uma vez que tem dentição de omnívoro, tubo digestivo de carnívoro e dieta principalmente herbívora.

Os pandas-vermelhos estão perfeitamente adaptados às temperaturas do seu habitat natural: a sua pelagem é densa, protegendo-os em caso de frio, e a cauda é longa, para ajudar a manter a temperatura corporal. É uma espécie reservada, marcando o seu território com urina e secreções das glândulas anais e genitais. Podem ser territoriais, se ameaçados, e passam a maior parte do tempo em altura, deitados nos ramos das árvores.

1 Comentário
  1. Catarina Assunção 1 mês atrás
    Responder

    oh meus deus!!!!! é literalmente o meu animal favorito no zoo!!!!!!!!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.