Sensibilização

Espanhol vai viver 21 dias numa jaula num canil para protestar contra o abandono animal

Dia-a-dia deste treinador de cães pode ser acompanhado em directo no canal de YouTube Mundo Animal Tv. Em Espanha, todos os anos são abandonados 135 mil cães
Bichos
abandono
abandono
Alfredo teve esta ideia quando trabalhou na Holanda (foto: Mundo Animal TV/YouTube)

Um treinador de cães de Torrelavega, município da região autonómica da Cantábria (Espanha), vai viver 21 dias numa jaula num canil para chamar a atenção para o problema do abandono de animais. Alfredo Díaz Sámano, de 47 anos de idade, casado e com dois filhos, começou o seu protesto na segunda-feira, segundo o jornal El Diario Montanes. O seu dia-a-dia pode ser acompanhado em directo no canal do YouTube Mundo Animal Tv.

Durante 21 dias, Alfredo Días Sámano vai comer de um comedouro e beber água de um bebedouro, como os animais, fará as suas necessidades num balde onde serão colocados sacos de plástico, e dormirá enroscado na parte coberta da jaula para se proteger nos dias de chuva. A ideia é viver como um cão para protestar contra o abandono de cerca de 135 mil destes animais todos os anos em Espanha.

O local escolhido para este cativeiro voluntário foi um canil em Alicante. O mesmo jornal refere que Alfredo não tem medo que o considerem louco. “Não estou sozinho nesta loucura, tenho muitos patrocinadores que me apoiam, e pessoas que me dão ânimo, e programas de televisão que me contactaram para contar a experiência”.

 

Abandono elevado

Alfredo, que é voluntário da associação Rescata-me Piélagos, não estará sozinho na jaula. Aproveitará a campanha para divulgar alguns dos cães que vivem no canil. “Tratá-los-ei, tirar-lhes-ei medos e traumas causados pelo muito que sofreram. Também brincarei com eles e treiná-los-ei. Tudo isto poderá ser visto no canal e quem quiser poderá colaborar no projecto adoptando um destes cães ou fazendo uma doação”, explicou.

O jornal El Diario Montanes adianta que o treinador de cães irá receber a visita de vários artistas. “Estou muito orgulhoso por levar a cabo esta acção. Vou sofrer, mas estou convencido de que servirá para alguma coisa”.

A ideia de viver num canil surgiu quando Alfredo trabalhava na Holanda e constatou como naquele país “estão muito adiantados em matéria de direitos dos animais”. “Aqui, em Espanha, ignoram a lei europeia aprovada em Estrasburgo”, critica.

“Não podemos continuar assim. Temos que travar a taxa anual de abandonos no nosso país, que chega ao escandaloso número de 135 mil cães todos os anos e que é a origem do maltrato animal”, sublinhou.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.