Acidente

Jovem baleia perdeu a cauda devido a rede de pesca abandonada

Especialistas receiam que o animal, avistado ao largo da cidade colombiana de Nuqui, não sobreviva uma vez que a cauda é muito importante para viajar pelo oceano e mergulhar em profundidade
Bichos
pesca

Uma jovem baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) perdeu a cauda, ao que tudo indica, devido a uma rede de pesca abandonada. O animal foi avistado ao largo da cidade colombiana de Nuqui por elementos da Fundação Macuaticos, uma organização para a conservação da vida marinha. Quando a baleia mergulhou, viram que no lugar da cauda estava uma enorme ferida.

A rede de pesca ter-se-á enrolado de tal forma no corpo da baleia que acabou por cortar a circulação sanguínea, o que eventualmente fez com que a cauda fosse cortada. Em declarações ao jornal britânico Express, o biólogo Cristian Bermudez disse: «A baleia provavelmente não vai sobreviver porque a cauda é fundamental para poder viajar pelo oceano e realizar mergulhos profundos».

Por seu turno, Natalia Botero, fundadora e directora da Fundação Macuaticos, acrescentou: «Procurámo-la durante uma semana e quando a encontrámos, vimos enormes ferimentos acastanhados que pareciam estar gangrenados».

 

Mudar as práticas de pesca

A mesma responsável acrescentou que a fundação tem estado a trabalhar junto dos pescadores da cidade para os convencer a alterar as práticas piscatórias que ameaçam a vida marinha.

«Estas pessoas têm sido pescadores toda a sua vida e este é o seu meio de sobrevivência, pelo que temos que lhes arranjar alternativas», sublinhou.

Na sequência deste caso, o Programa Internacional de Preservação da Vida Marinha da Colômbia apelou aos pescadores para não abandonarem as suas redes no mar.

Ao mesmo jornal, a directora, Maria Clara Diaz Granado, disse: «É terrível ver como os grandes mamíferos estão a sofrer porque as nossas actividades piscatórias não estão a ser devidamente controladas».
As baleias-jubarte passam pela Colômbia durante a sua migração anual para as áreas de reprodução no sudeste do Oceano Pacífico.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.