Tráfico

Guardia Civil desmantela uma das maiores redes de contrabando de tartarugas da Europa

Foram detidas duas pessoas em Maiorca de nacionalidade alemã e uma em Barcelona e apreendidos 1100 exemplares de 62 espécies e 750 ovos
Bichos
Tartarugas

A Guardia Civil desmantelou em Maiorca uma organização que se dedicava ao tráfico internacional de espécies ameaçadas de tartarugas. Segundo a imprensa espanhola, foram apreendidos 1100 exemplares (adultos e crias) de 62 espécies e 750 ovos. Este número poderá aumentar uma vez que 200 fêmeas estão grávidas.

Esta acção resultou na detenção de três pessoas – duas em Maiorca e uma em Barcelona -, que são suspeitas de crimes contra a fauna e a flora silvestre, contrabando de espécies protegidas e branqueamento de capitais.

De acordo com o jornal El País, esta investigação, que se iniciou há mais de um ano, permitiu desmantelar uma das maiores redes de incubação de tartarugas da Europa. A investigação foi espoletada quando, em Fevereiro de 2017, agentes da Guardia Civil destacados no aeroporto de Son Sant Joan de Palma detectaram o carregamento de vários exemplares de tartarugas-de-caixa (Terrapene coahuila), ao abrigo do Convénio sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas (CITES).

Ao fiscalizarem a remessa, os agentes verificaram que aquela não correspondia à documentação que acompanhava os animais, pelo que estes foram confiscados.

 

Criação industrial de tartarugas

No início da investigação, a Guardia Civil descobriu que os responsáveis pelo envio não tinham propriedades, nem bens em seu nome. Depois de localizá-los numa quinta no município de Llucmajor, a Polícia comprovou que ali funcionava uma das maiores redes de criação de tartarugas da Europa e tinha como objectivo a sua reprodução ao nível industrial.

De entre as espécies confiscadas estão 14 das 50 mais ameaçadas de todo o mundo, originárias do México, Estados Unidos da América e Canadá e protegidas pela legislação desses países. Foram também encontradas tartarugas-de-caixa originárias da Tailândia e consideradas em grande risco de extinção e alguns exemplares de tartarugas-gregas (Testudo graeca), classificada como vulnerável em Espanha.

Os dois detidos em Maiorca, de nacionalidade alemã, tinham uma relação estreita com o proprietário de uma loja de animais exóticos de Barcelona, que utilizavam para traficar os espécimes criados na ilha. Na casa do lojista, nos arredores de Barcelona, foram encontradas várias piscinas e reservatórios com espécies protegidas em condições muito precárias.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.