Reencontro

Cão desaparecido em Brejos de Azeitão há mais de dois anos encontrado em Almeirim

Romeo, actualmente com quatro anos e meio de idade, tem sarna e perdeu mais de 20 quilos. Microchip permitiu localizar a dona, a quem já foi entregue
Fátima Mariano
Almeirim

AlmeirimUm cão de raça bull terrier desaparecido em Brejos de Azeitão (concelho de Setúbal) no dia 10 de Março de 2016 foi encontrado esta quarta-feira em Almeirim, a mais de 100 quilómetros de casa. Graças à informação associada ao microchip, foi possível localizar a dona do Romeo.

Embora nunca tenha perdido a esperança de reencontrá-lo, Vera Romeu nem queria acreditar quando lhe telefonaram a dizer que o seu cão, desaparecido há quase dois anos e meio, estava em Almeirim.

«Ainda hoje não estou em mim. Quando ele desapareceu, passei muito mal, porque não sabia o que lhe tinha acontecido. Procurei-o por todo o lado, dei-o como desaparecido na polícia e no veterinário», contou ao jornal Os Bichos. «Qualquer coisa me dizia que ele ia aparecer. Eu nunca desisti dele».

Romeo, actualmente com quatro anos e meio de idade, foi encontrado na terça-feira no parque de estacionamento de um supermercado por Anna Sofia, voluntária no núcleo de Almeirim/Alpiarça da associação PRAVI.

«Raramente vou àquele supermercado, mas ontem [quarta-feira] decidi ir, porque estava destinado encontrar-me com o Romeo», começa por dizer Anna Sofia. «Ele estava à porta, num estado lastimável, a pedinchar a toda a gente e toda a gente lhe virou as costas».

 

Mais magro e com sarna

Anna Sofia assobiou-lhe e ele dirigiu-se a ela. Com a ajuda de dois amigos, levaram-no a uma clínica veterinária, onde a médicaAlmeirim confirmou que o Romeo tinha um número de telemóvel associado ao microchip e estava dado como desaparecido. Telefonaram de imediato a Vera, que em apenas 1.30 horas chegou a Almeirim. «Quando ele conheceu a voz da Vera e da mãe, começou logo a abanar a cauda», conta Anna Sofia.

Romeo tem sarna e perdeu muito peso. «Quando ele desapareceu, pesava 35 quilos. Agora, pesa 11 quilos», diz Vera. No primeiro dia, já em casa, devorou cinco latas de patê. «Não lhe dei mais porque tive medo que lhe fizesse mal. Ele estava esfomeado», acrescenta.

Pouco depois de Romeo desaparecer, Vera foi buscar Chucky, um outro bull terrier, actualmente com dois anos e meio de idade. Após um primeiro contacto de reconhecimento, Vera conta que os dois já são amigos.

Depois de tudo o que se passou, Vera Romeu recomenda a todas as pessoas que tenham cães a colocar-lhes o microchip. «Se não fosse o microchip, eu nunca teria encontrado o Romeo», afirma.

 

O que é o microchip?

Este não é o primeiro caso de animais recuperados pelos donos muitos anos depois de terem desaparecido, graças à informação associada ao microchip. Trata-se de um implante electrónico, do tamanho de um bago de arroz, que é colocado no lado esquerdo do pescoço do cão por um médico veterinário.

Desde 1 de Julho de 2014, a implantação do microchip é obrigatória em todos os cães perigosos ou potencialmente perigosos, utilizados em acto venatório, em exposições, para fins comerciais ou lucrativos. A partir de 1 de Julho de 2008, passou a ser obrigatória em todos os cães e deverá ser colocado entre os três e os seis meses de idade. Nos gatos, a identificação electrónica não é obrigatória.

2 Comentários
  1. Isabel Paixao alves 1 semana atrás
    Responder

    Parabéns à família por nunca ter desistido do ROMEU, e acima de tudo, pela responsabilidade de lhe ter colocado o microchip, pois sem ele, muito provavelmente, o pequenino Romeu teria tido um final muito infeliz.
    Obrigada também aos protetores de animais, pois sem eles, este final não teria sido possível.
    Resta-me desejar que o Romeu, tenha finalmente o descanso e o amor que tanto merece por estes anos que esteve perdido e quão duros eles devem ter sido, pobrezinho.
    Bem haja a todos e obrigada.
    Isabel

  2. Cristina Carrilho 1 semana atrás
    Responder

    Gostei muito da história do Romeu,por esta ter um final feliz.
    Nem consigo imaginar as dificuldades,angústia,,dor e solidão pela qual o Romeu passou esse tempo fora do seu lar.sensibiliza-me muito os kilos que ele perdeu.
    Eu não tenho cães,tenho 2 gatinhas.Lamento os veterinários serem um bocado caros e não estarem ao alcance das carteiras de muito boa gente.
    Gostaria de saber,por mera curiosidade,quanto custa,mais ao menos,por alto,o implante microship????!!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.