Verão

Associação pede ao governo francês que proíba o transporte de animais vivos durante a onda de calor

Fondation 30 Millions d’Amis diz ser inaceitável sujeitar os animais a viagens de longas horas com temperaturas tão elevadas e exige o limite máximo de oito horas diárias
Bichos
Associação defende que o abate seja feito no local de criação do animal e as carcaças transportadas em camiões refrigerados

A Fondation 30 Millions d’Amis, associação francesa de defesa dos direitos dos animais, exigiu ao ministro gaulês da agricultura que proíba o transporte de longa distância de animais vivos para abate durante a onda de calor. “O transporte de animais de produção durante o tempo quente no interior de camiões de transporte durante horas ou até dias é inaceitável”, escreveram os responsáveis da Fundação num comunicado enviado a Stéphane Travert citado pela AFP.

A associação exige “a limitação do transporte a oito horas por dia e o fim da exportação de animais vivos para fora da União Europeia”, apelando à responsabilidade de todos os países da UE. “Ao longo de milhares de quilómetros, eles são sujeitos a condições terríveis, sobretudo durante o tempo quente: são transportados em camiões sobrelotados, exaustos e desidratados, e muitos sucumbem ao pior dos sofrimentos durante essas longas jornadas”, diz a Fundação.

Em Portugal, movimentos como a PATAV – Plataforma Anti-Transporte de Animais Vivos e a Setúbal Animal Save também reivindicam o fim da exportação de animais vivos, especialmente para os países do Médio Oriente.

 

Transporte das carcaças

Reha Hutin, presidente da Fundação, está indignado com “esta procura pelos grandes lucros à custa do inferno que é imposto aos animais que vão para abate”. Há 10 anos que a Fondation 30 Millions d’Amis pede que o abate seja feito no local de criação e que as carcaças sejam transportadas em camiões refrigerados, recorda o jornal Le Figaro, em vez de os animais “serem forçados a viajarem mais de mil quilómetros até à morte”.

Em Setembro de 2017, várias associações europeis mobilizaram-se no âmbito da campanha #StopTheTrucks. Uma petição que recolheu mais de um milhão de assinaturas e que pede o fim do transporte de animais vivos em viagens muito longas. O documento foi entregue à Comissão Europeia.

“Ainda sem efeito, não podemos admitir essas atrocidades”, acrescentou Reha Hutin. “Está na hora de a opinião pública mundial ser ouvida pelos seus líderes”.

De acordo com a Fundação, quase um milhão de milhões de aves e 27 milhões de bovinos, suínos, ovinos, caprinos e cavalos são transportados vivos dentro da União Europeia e para países terceiros.

1 Comentário
  1. isaura martins 2 semanas atrás
    Responder

    os animais sentem como nós! isto tem que acabar!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.