Verão

Onda de calor: o que deve fazer se vir um animal dentro de um carro?

Ou numa varanda ou acorrentado num quintal exposto ao sol? Chamar as autoridades policiais deverá ser a primeira medida a tomar, aconselha a PSP
Fátima Mariano
carro
animal
Se vir um animal fechado num carro num dia de calor, telefone de imediato às autoridades policiais (foto: Tess de Groot/Pixabay)

Com temperaturas atmosféricas muito acima do normal, todos os cuidados são poucos para protegermos os animais de estimação. Os golpes de calor podem ter consequências gravíssimas na sua saúde ou mesmo causar a morte. Um dos comportamentos que deve ser de todo evitado é o deixar um animal dentro de um veículo. Mesmo que as janelas fiquem abertas, que a viatura esteja à sombra e que seja por um curto período de tempo.

Segundo a PSP, num dia em que a temperatura exterior atinja os 30º C, no interior do carro, esta sobe até aos 40º C, se estiver à sombra, e até aos 50º C, caso esteja ao sol. Tendo em conta que até segunda-feira, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê temperaturas atmosféricas de 45º C em algumas regiões do país, facilmente se perceberá que o interior dos carros não é, de todo, um local apropriado para deixar os animais.

Mas o que deve fazer caso veja um animal dentro de um carro?

 

Animal em perigo?

De acordo com a PSP, o procedimento mais correcto será sempre alertar de imediato as autoridades e denunciar a situação. «Desaconselhamos a que os cidadãos tomem atitudes como seja a quebra de vidros, uma vez que os proprietários das viaturas poderão accionar criminal e civilmente quem pratica estes actos», esclareceu por e-mail ao jornal Os Bichos o porta-voz da Direcção Nacional da PSP, intendente Hugo Palma.

Caso considere que as autoridades policiais tardam a chegar ou que existe um «eminente risco de morte do animal» e decida partir os vidros da viatura, deverá preparar-se para «assumir eventuais responsabilidades (mesmo que posteriormente venha a ser reconhecido a situação de necessidade que despenalize ou desculpabilize a conduta)», acrescentou, sublinhando que «esta é uma avaliação que caberá fazer individualmente».

 

E as varandas?

No caso de animais que estejam em varandas ou acorrentados a casotas expostos ao sol, os conselhos da PSP vão no mesmo sentido. A primeira atitude deverá ser contactar a PSP ou a GNR.

«A entrada não autoridade na residência de alguém, mesmo que seja apenas num quintal, varanda ou anexo, pode fazer incorrer a pessoa em crime», lembra o mesmo responsável.

O porta-voz da Direcção Nacional da PSP refere que «uma situação de abandono ou negligência para com os animais, embora possa constituir também crime, não configura necessariamente uma situação de necessidade urgente que permita a intervenção de qualquer pessoa, pelo que neste caso nunca deverão assumir o comportamento descrito».

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.