Prevenção

Se for com o seu cão à praia, não o deixe beber água do mar

A água salgada é extremamente tóxica e se ingerida em excesso, pode causar a morte do animal. Médicos veterinários aconselham a que os cães não estejam mais do que duas horas na água
Bichos
cão
cão
A ida dos cães ao mar deve ser permanentemente controlada pelos donos (foto: Pixabay)

Com cada vez mais praias portuguesas onde é permitida a permanência de cães durante a época balnear, há que ter cuidados redobrados para garantir a saúde e o bem-estar do seu patudo. Principalmente, quando ele vai ao banho. A água salgada é extremamente tóxica e quando ingerida em excesso, pode causar a morte do animal.

De acordo com o Pet Poison Helpline (uma espécie de linha S.O.S. veneno dirigida a donos de animais de estimação), os cães não têm noção de que a água do mar é perigosa, pelo que são capazes de a ingerir em grandes quantidades. Essa ingestão excessiva pode causar hipernatremia grave (envenenamento por sal).

Nos casos mais ligeiros, os sintomas são o vómito e a diarreia. Mas se a situação se agravar, poderão surgir problemas do foro neurológico, como o animal caminhar como se estivesse embriagado, ter convulsões ou surgir um inchaço cerebral grave. Em qualquer caso, o cão deve ser visto por um médico veterinário o mais depressa possível.

Os médicos veterinários aconselham mesmo a que os cães não permaneçam na praia mais do que duas horas no mar, de modo a evitar que ingiram demasiada água salgada. Tenha também em atenção que esta pode causar irritação na pele e nos olhos do seu animal.

 

A morte de O.G.

Há cerca de duas semanas, Chris Taylor viu o seu cão O.G., um labrador preto com seis anos de idade, morrer dois dias depois de terem ido à praia. Ao canal de televisão americano Fox13, Chris Taylor contou que no final do dia de praia, O.G. estava visivelmente cansado. «Levámo-los para o carro. Ele tinha um pouco de diarreia e não se estava a sentir muito bem», recordou.

No dia seguinte, o animal parecia estar a sentir-se um pouco melhor. Mas 48 horas depois da ida à praia, O.G., deixou de comer e de reagir quando o Chris o chamava. O cão foi de imediato encaminhado para a clínica veterinária, mas ao chegar, o cérebro dele começou a inchar. O.G. teve que ser eutanasiado.

 

Cuidados a ter

Deixamos-lhe aqui alguns conselhos para prevenir a intoxicação por consumo excessivo de água salgada:

– Vigie sempre o seu cão quando ele vai ao mar;

– Brinque com ele o mais possível na areia para cansá-lo e, assim, fazer com que passe menos tempo na água;

– Tenha sempre consigo água potável e faça com que o seu cão a beba regularmente;

– Evite expor o animal ao sol nas horas de maior calor. Mantenha-o sempre num local fresco.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.