Descoberta

Abelhas-rainhas têm mais parceiros sexuais do que pensávamos

Investigação realizada por cientista americano concluiu que cada uma pode acasalar com até 50 machos. O acasalamento dura entre 10 a 15 minutos
Bichos
Abelha
Abelha
Até agora, os estudos indicavam que a abelha-rainha acasalava apenas com 112 machos (Foto: Fátima Mariano)

Uma investigação realizada por um estudante de doutoramento da Universidade Estadual da Carolina do Norte (EUA) permitiu concluir que as abelhas de uma única colmeia podem descender de 50 machos diferentes, o que significa que a abelha-rainha tem mais parceiros sexuais do que pensávamos até agora.

As conclusões deste estudo foram publicadas recentemente na revista científica PLoS ONE today. James Withrow analisou a genética das larvas de abelha, assim como das operárias e das rainhas. Percebeu que numa mesma colmeia, as abelhas podem ter mais de 50 pais diferentes. Até agora, os investigadores tinham-se concentrado apenas nas abelhas-trabalhadoras, o que os levara a acreditar que as larvas descendiam apenas de 12 machos.

Em cada colmeia, existem três tipos de abelhas: as rainhas, as operárias e os zangões. Só as abelhas-rainhas é que se reproduzem. Os rituais de acasalamento podem envolver milhares de zangões, que se reúnem em campo aberto, a cerca de 20 metros acima do solo, explica o geneticista comportamental Benjamin Oldroyd, na Universidade de Sydney, citado pelo jornal australiano ABC.

Quando atinge a maturidade, a jovem abelha-rainha abandona a colmeia da mãe e pode deslocar-se a diversas zonas de concentração de zangões, em dias diferentes, podendo acasalar com cerca de 50 machos. O acasalamento dura entre 10 a 15 minutos. «É muito rápido», sublinha o mesmo especialista.

Em seguida, a jovem abelha-rainha regressa à sua colmeia de origem, onde substituirá a mãe, ou levará um grupo de abelhas-operárias para fundar uma nova colmeia. Utilizará depois o esperma armazenado para fertilizar os ovos ao longo de vários anos.

 

Quando a rainha morre
Numa colmeia, quando a abelha-rainha morre subitamente, pode não haver uma substituta. Nesses casos, as abelhas-operárias escolherão uma de entre delas e alimentá-la-ão com uma dieta nutricionalmente mais rica, exclusivamente de geleia real, para que se torne sexualmente madura.

Durante a sua pesquisa, Jonathan Withrow descobriu que quando uma colmeia precisa de uma rainha urgentemente, as larvas filhas de determinados zangões eram mais facilmente seleccionadas para rainha substituta do que as outras.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.