Itália

Lampedusa lança clínica veterinária pública para cuidar dos cães que vivem nas ruas da cidade

Os cerca de 130 animais vadios vão ser vistos por médicos veterinários, esterilizados, identificados e encaminhados para adopção sempre que possível
Bichos
Vão ser distribuídos folhetos na cidade com conselhos sobre como conviver em segurança com estes cães (Foto: Sandeep Handa/Pixabay)

Começaram esta terça-feira os trabalhos de preparação da futura clínica veterinária pública que vai cuidar dos cerca de 130 cães vadios que vivem nas ruas da cidade italiana de Lampedusa. O projecto resulta de uma parceria entre a associação “O coração tem quatro patas”, a Câmara de Lampedusa e Linosa e a Ordem dos Veterinários da Província de Palermo, entre outras entidades.

Segundo o jornal Agrigento Notizie, no âmbito do “Projecto Isola”, os cães vão ser observados por médicos veterinários, que lhes administrarão os cuidados necessários. Os animais serão também identificados com microchip, esterilizados e encaminhados para adopção. Médicos veterinários do Instituto Zooprofilático Experimental da Sicília e do Centro Leshimania de Roma estarão também no terreno para implementar um plano de monitorização e de controlo da leishmaniose canina, uma doença infecciosa causada por um parasita, que também afecta o homem e pode ser fatal.

Totò Martello, o presidente da Câmara, explicou ao mesmo jornal que o objectivo desta iniciativa é garantir o bem-estar e o bom estado de saúde destes cães e, sempre que possível, arranjar-lhes um lar. Acrescentou que a clínica veterinária pública é apenas a primeira de um conjunto de iniciativas que estão a ser planeadas.

Desde esta terça-feira que estão a ser distribuídos folhetos, escritos em italiano e em inglês, nos aeroportos, portos e ruas de Lampedusa, com conselhos aos turistas e aos cidadãos sobre como conviverem em segurança com estes cães de rua.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.