Equador

Cão esperou quatro dias à porta do hospital onde o dono morreu

O caso aconteceu esta semana na capital do Equador. Simón, com cerca de cinco anos, está deprimido e recusa-se a comer e a beber
Bichos
Simón já arranjou um adoptando, mas está deprimido por não saber o que aconteceu ao dono (Foto: Gabriela Quiroga/Facebook)

Um cão com cerca de cinco anos esteve quatro dias à porta do hospital onde o dono morreu, na capital do Equador, ansiosamente à espera que ele voltasse para junto de si. Simón chegou ao Hospital Enrique Garcés, no sul de Quito, com o dono, faz este sábado uma semana, segundo conta o jornal El Comercio.

Gabriela Quiroga, que acabou por resgatá-lo, conta na sua página de Facebook que sempre que alguém abria a porta, Simón levantava-se e erguia as orelhas “de emoção”. Como o dono não saía, voltava a deitar-se numa esquina, sempre de olho na entrada do hospital. O dono, uma pessoa sem-abrigo, acabaria por morrer na segunda-feira.

Alguns funcionários tentaram retirá-lo do local, mas o cão regressava sempre. Na quinta-feira, até por alguns utentes do hospital já se manifestavam incomodados com a presença do animal, Gaby Quiroga foi buscá-lo e levou-o a um médico veterinário. Simón já foi vacinado, desparasitado, esterilizado e tomou banho. Apesar de todo o cuidado e carinho que tem recebido, Simón está deprimido. De acordo com o mesmo jornal, não come nem bebe. Entretanto, já encontrou um adoptante.

O pessoal do Hospital Enrique Garcés já está habituado a situações como esta. Junto a esta unidade de saúde vivem cerca de 10 animais. Alguns chegaram com os donos, outros foram abandonados e outros viviam no bairro. Os funcionários hospitalares esterilizam-nos, vacinam-nos e desparasitam-nos e tentam arranjar um lar definitivo para eles.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.