Descoberta

Sabia que as libélulas voam para trás? O segredo foi agora revelado

Conhecidas como as acrobatas do céu, estes insectos conseguem voar de cabeça para baixo, para a frente e para trás sem qualquer dificuldade
Bichos


Engenheiros aeroespaciais e mecânicos da Universidade da Virgínia, em Charlottesville (EUA), descobriram como é que as libélulas (Anisoptera) conseguem voar para trás com a mesma facilidade com que o fazem para a frente.

Ayodeji T. Bode-Oke, Samane Zeyghami e Haibo Dong capturaram 40 libélulas no seu habitat natural e colocaram-lhe pontos nas asas, de modo a poderem registar os seus movimentos. Depois, libertaram-nas no laboratório de filmaram-nas com câmaras de alta velocidade.

Quando visionaram os filmes, os cientistas verificaram que as libélulas, quando voam para trás, projectam os corpos para cima, num movimento semelhante ao que é feito pelos helicópteros. Concluíram que o esforço despendido pelas libélulas, para voarem para a frente ou para trás, é o mesmo.

Estas descobertas, que foram publicadas na semana passada no Journal of the Royal Society Interface, sugerem que a libélulas são capazes de voar para trás durante um largo período de tempo. Também conseguem descolar de diversas posições, o que é muito útil para fugirem dos predadores ou de um qualquer obstáculo que lhes apareça pela frente.

Estes animais são conhecidos como as acrobatas do céu. Conseguem voar de cabeça para baixo, rodar 360.º num estalar de demos e voar a mais de 55 quilómetros por hora.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.