Agricultura

Coruja-das-torres substitui pesticidas no combate às pragas de roedores na Jordânia, Israel e Palestina

Agricultores têm vindo a ser incentivados a instalarem caixas-ninhos nos campos agrícolas. Um casal destas aves pode consumir cerca de seis mil roedores por ano
Bichos
Um casal de coruja-das-torres pode ter até 11 crias por ano (Foto: Pixabay)

O ornitólogo suíço Alexandre Roulin está a ajudar os agricultores da Jordânia, Israel e Palestina a combater a praga de roedores com recurso a corujas-das-torres (Tyto alba) em vez de pesticidas.

De acordo com o jornal Swiss Info, este professor do Departamento de Ecologia e Evolução da Universidade de Lausana, tem vindo a colaborar no projecto “As corujas-das-torres não conhecem fronteiras”, que ajuda os agricultores a instalarem caixas-ninhos nos campos. O objectivo é que estas aves ajudem a combater as pragas de roedores que dizimam as colheitas.

Nos países áridos do Médio Oriente, como Israel, os campos de trigo e de alfafa são um delicioso manjar para os ratos e as ratazanas, provocando grandes prejuízos a quem vive da agricultura. A utilização de pesticidas, embora ajude a controlar as pragas, contaminam os solos e os lençóis freáticos e matam os predadores, como as corujas-das-torres, que controlam naturalmente as populações de roedores.

Através deste projecto, os agricultores são incentivados a não utilizarem mais pesticidas e a instalarem caixas-ninho em postes nos campos agrícolas. Estas caixas-ninhos também atraem falcões, uma espécie que se alimenta de roedores durante o dia, garantindo que as pragas são controladas 24 horas por dia.

As corujas-das-torres existem em todos os continentes, excepto na Antártida. Num ano, um casal desta espécie pode ter 11 crias e consumir cerca de seis mil roedores. A sua visão e audição apuradas e o facto de voarem quase sem fazerem barulho tornam-nas excelentes caçadores nocturnos. Além disso, apesar de serem “máquinas de matar”, como diz Alexandre Roulin, são também “diplomatas”, o que as tornam a verdadeira inspiração para resolver os conflitos humanos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.