Comércio

Maior exportador de ovelhas vivas da Austrália tem a licença suspensa após denúncia de maus-tratos

Empresa está a ser alvo de uma investigação criminal e outra do governo, após exibição de um vídeo que mostra as condições em que os animais são transportados nos camiões e nos barcos para o Médio Oriente
Bichos
No ano passado, mais de 2400 ovelhas morreram durante o transporte, devido ao stress pelo calor (Foto: Pixabay)

O maior exportador de ovelhas vivas da Austrália, a Emanuel Exports, viu recentemente a sua licença suspensa pelo governo federal, que aguarda agora a resposta da empresa a uma nota de acusação. A companhia está a ser alvo de uma investigação criminal e do Departamento de Agricultura e Recursos Hídricos.

A decisão foi tomada depois da exibição de um vídeo, filmado em Agosto do ano passado, no programa televisivo australiano 60 Minutes, que mostra os animais stressados a serem transportados em camiões completamente cheios, sem espaço para se movimentarem, nem ventilação, e sujeitos a golpes de calor, desidratação e exaustão. Segundo o vídeo, nem as ovelhas grávidas são poupadas. Os cordeiros que nasçam nos barcos que as conduzem ao Médio Oriente são espancados até à morte ou golpeados na garganta por membros da tripulação.

Após a exibição do programa, o governo australiano anunciou uma investigação completa à actividade da Emanuel Exports, responsável por 50% das ovelhas exportadas da Austrália. No ano passado, mais de 2400 ovelhas desta empresa morreram durante as viagens de barcos, devido ao stress pelo calor.

Num comunicado citado pelo jornal britânico The Guardian, fonte daquele departamento governamental lembrou que as leis que regem a exportação de animais vivos incluem requisitos rigorosos para garantir a saúde e o bem-estar desses animais. “É da responsabilidade de cada exportador garantir que essas obrigações são cumpridas”, lê-se no mesmo documento.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.