Património

Barragem etíope ameaça a vida selvagem dos parques nacionais do Quénia

Local abriga mais de 350 espécies de peixes e de aves e é o habitat de reprodução de hipopótamos e crocodilos do Nilo
Bichos
O crocodilo do Nilo é uma das espécies que se reproduz no lago Turkana (Foto: Limboko/Pixabay)

Os Parques Nacionais do Lago Turkana, no Quénia, foram colocados esta quinta-feira na Lista do Património Mundial em Perigo, devido aos impactos que têm vindo a sofrer após a entrada em funcionamento da barragem Gibe III, na Etiópia. Este local é o habitat de reprodução de hipopótamos e de crocodilos do Nilo e abrigo de mais de 350 espécies de peixes e de aves, que vêem a sua sobrevivência em risco.

Segundo um comunicado da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, sigla em inglês), os níveis da água a jusante da barragem Gibe III caíram abruptamente desde que o seu reservatório começou a ser preenchido, em Janeiro de 2015, o que interferiu com as mudanças sazonais no fluxo da água no lago Turkana. Esta alteração pode ter graves impactos na vida selvagem e nos stocks de peixe, dos quais dependem as comunidades locais.

Composto por três áreas protegidas, os Parques Nacionais do lago Turkana foram inscritos na lista do Património Natural da Humanidade em 1997, devido aos seus valores naturais excepcionais. Trata-se do lago mais salgado da África Oriental, cercado por uma paisagem quase extra-terrestre.

A barragem Gibe III é a segunda maior central hidroeléctrica de África, com 243 metros de altura. O seu reservatório deverá ficar completamente cheio este ano. Apesar de instada repetidamente pelo Comité do Património Mundial a fazer uma avaliação dos impactos ambientais da barragem, a Etiópia nunca o fez.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.