Ciência

Localizado no golfo do México o primeiro berçário de jamantas

Descoberta permitirá estudar esta espécie, ameaçada mundialmente, durante a sua fase juvenil. Em adultos, estes animais podem atingir os sete metros de envergadura
Bichos

Aquele que é considerado o primeiro berçário conhecido de jamantas (Mobula birostris) foi descoberto recentemente no golfo do México, ao largo do Texas (EUA), por cientistas do Scripps Institution of Oceanography e do National Marine Sanctuaries.

A equipa, liderado por Joshua Stewart (estudante de pós-graduação em biologia marinha do Scripps Institution of Oceanography), localizou o berçário durante um estudo sobre a população de mantas nos bancos de Flower Garden, uma das 15 áreas subaquáticas protegidas.

«A fase juvenil da vida das jamantas tem sido uma espécie de caixa negra para nós, porque é muito difícil conseguirmos observá-las», referiu ao sítio da Internet do Scripps Institution of Oceanography, Joshua Stewart, que é também o director executivo do Fundo Jamanta, um programa que visa a preservação destes animais (também conhecidos como manta, morcego-do-mar, peixe-diabo, raia-diabo e Maroma (no arquipélago dos Açores).

O investigador sublinhou ainda que esta descoberta vai permitir conhece mais as jovens jamantas e os diferentes habitats desta espécie. Há sete anos que Joshua Stewart estuda as jamantas, tendo-se cruzado com vários adultos. No entanto, apenas em 2016 avistou o primeiro juvenil no banco de Flower Garden. A partir daí, foi vendo outras pequenas jamantas, tendo concluído que se trata de uma área onde estes animais procriam.

As jamantas vivem em mar aberto e podem atingir os sete metros de envergadura na fase adulta. Normalmente, vivem em águas tropicais e subtropicais, longe da costa, o que dificulta o seu estudo. Estão mundialmente ameaçadas pela pesca dirigida e capturas acidentais. Desde Janeiro deste ano que integram a lista das espécies em perigo nos EUA.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.