Estudo

Presença de cocaína na água está a afectar a reprodução das enguias europeias

Animais expostos a estas substâncias mostram sinais de hiperactividade e lesões graves no músculo esquelético. Presença de substâncias químicas nos ambientes aquáticos coloca em risco a sobrevivência da espécie
Bichos
Danos no músculo esquelético podem impedir as enguias europeias de nadarem até ao Mar dos Sargaços, ondem desovam (Foto: Penabar/Pixabar)

As enguias europeias (Anguilla anguilla) estão a tornar-se hiperactivas e a apresentar lesões graves no músculo esquelético, devido à presença de cocaína e de outras substâncias químicas nos ambientes aquáticos. Esta situação pode colocar em risco a sua sobrevivência, uma vez que os animais doentes podem não conseguir nadar até ao Mar dos Sargaços, perto das Bahamas, para desovar.

Anna Capaldo, da Universidade de Nápoles Frederico II (Itália), e os colegas desenvolveram um estudo sobre as enguias europeias, depois de se terem apercebido que a cocaína se tem vindo a acumular na carne destes animais e a afectar a sua pele e as hormonas.

Os cientistas mantiveram 150 enguias europeias durante 50 dias em vários tanques. Alguns continham baixas quantidades de cocaína, apenas 20 nanogramas por litro; outros, água da torneira. Os animais expostos à droga apresentaram sinais de hiperactividade, nadando mais rápido do que as outras.

Numa fase posterior, as enguias europeias utilizadas na experiência foram mortas e dissecadas. Os investigadores verificaram então que o seu músculo esquelético, que é o que lhes permite nadar, estava danificado. Os músculos estavam inchados e algumas das fibras musculares quebradas. Estes danos ainda eram visíveis 10 dias após os animais terem sido colocadas em água sem cocaína.

Os investigadores salientaram que os consumidores de enguias europeias poderão também ingerir cocaína, embora em quantidades reduzidas e sem quaisquer efeitos secundários. Em declaração ao sítio da Internet New Scientist, Anna Capaldo referiu que para eliminar os vestígios de cocaína na água seria preciso melhorar o funcionamento das estações de tratamento de águas residuais e desenvolver um sistema de purificação.

«O melhor mesmo seria acabar com o consumo de cocaína, mas receio que isso não seja realista», sublinhou.

 

(Por erro de identificação no banco de imagens que utilizámos, a imagem original do artigo representa uma moreia e não uma enguia. A fotografia foi já alterada no artigo às 14h50 do dia 25 de Junho de 2018)

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.