Pesquisa

Cães com excesso de peso podem ajudar a perceber a obesidade nos seres humanos

Estudo desenvolvido por investigadores de uma universidade húngara pode contribuir para o desenvolvimento de um modelo que explique as causas e as consequências da obesidade nas pessoas
Bichos
O estudo não permitiu encontrar evidência científica que relacione a obesidade nos cães com a sua raça (Foto: Pixabay)

Um estudo desenvolvido por investigadores da Universidade ELTE Budapeste, Hungria, concluiu que os cães com excesso de peso têm traços de personalidade em comum com as pessoas obesas, podendo ajudar a desenvolver um modelo que explique as causas e as consequências da obesidade nas pessoas.

Para desenvolverem o estudo, os cientistas pediram a um conjunto de voluntários que levassem os seus cães, num total de 91, de diversas raças: 24 Mudi, 24 Border Collie, 21 Beagle, 14 Labrador Retriver e 8 Golden Retriever. Os animais foram separados em dois grupos, consoante fossem ou não obesos.

Foram-lhes oferecidos dois comedouros de plástico não transparentes – primeiro, um com comida pouco apelativa; depois, outro vazio ou com comida apetitosa -, tendo os donos sido instruídos para que ordenassem aos cães que esperassem pelo segundo, para que pudessem inspeccionar os dois antes de tomarem uma decisão.

Os investigadores julgaram que à medida que o teste se fossem realizando, os animais com excesso de peso iriam esperar para ver qual dos comedouros tinha a comida mais apetitosa. Contudo, não foi o que aconteceu. Enquanto os cães com um peso normal obedeceram sempre às ordens dos donos, os outros rapidamente desistiram de esperar e devoraram logo a comida da primeira taça que lhes era oferecida.

“Esperávamos que os cães com excesso de peso fariam de tudo para conseguir comida, mas neste teste, vimos o oposto”, diz Orsolya Torda, a investigadora principal, citada pelo jornal New York Post.

“Se uma situação é de incerteza e eles não consegues arranjar comida, os cães obesos não investem energia a procurar comida – para eles, o objectivo é encontrar a comida certa com o menos dispêndio de energia possível”, acrescentou.

Durante a pesquisa, não foi encontrada qualquer evidência de que há raças mais propensas à obesidade do que outras, mas sim de que há raças que colaboram mais ou menos com os seres humanos.

De acordo com os cientistas, os resultados aos quais chegaram são muito semelhantes a outros já desenvolvidos que associam certos traços de personalidade ao excesso de peso em seres humanos, sugerindo que os cães podem ser um bom modelo experimental para investigar a obesidade nas pessoas.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.