Espanha

Portuguesa colocou açaimo para o cão não ladrar e ele morreu à fome e à sede

A mulher, de 32 anos de idade, está a ser investigada pelo alegado crime de maus-tratos contra animais. O cão ainda foi transportado a uma clínica médico-veterinária, mas não foi possível salvá-lo
Bichos
O alerta às autoridades foi dado pelos vizinhos, que viam o cão ficar cada vez mais fraco de dia para dia (Foto: Direitos Reservados)

Uma mulher de nacionalidade portuguesa, de 32 anos de idade, está a ser investigada em Espanha pelo alegado crime de maus-tratos contra animais, depois de o seu cão ter morrido à fome e à sede. O animal tinha sempre um açaimo colocado, com papéis na ponta, para não ladrar, não conseguindo alimentar-se correctamente.

O caso aconteceu em Ribadeo, Lugo, na Galiza. De acordo com o jornal La Voz de Galicia, as denúncias começaram a chegar à Guardia Civil no mês passado. Os vizinhos queixavam-se que a mulher nunca levava o cão a passear e que este estava cada vez mais fraco, uma vez que o açaimo, sempre colocado, não lhe permitir comer nem beber.

Quando os agentes da Guardia Civil foram à casa resgatar o animal, verificaram que as condições higio-sanitárias em que ele vivia eram “terríveis”. O cão, de pequeno porte e pêlo preto, ainda foi transportado a uma clínica médico-veterinária, mas devido ao seu estado de saúde debilitado, não foi possível salvá-lo.

A Guardia Civil abriu uma investigação ao caso e a mulher é suspeita do crime de maus-tratos contra animais. A portuguesa foi já presente a um juiz para o primeiro interrogatório judicial.

Em Espanha, de acordo com o Código Penal (Lei Orgânica 1/2015, de 30 de Março), quem maltratar sem justificação um animal de companhia pode ser punido com uma pena de três meses e um dia a um ano de prisão. No caso em que ocorra a morte do animal, a pena pode ir dos seis meses aos 18 meses de prisão.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.