Diversidade

Conheça as quatro espécies de borboletas estudadas em Marrocos pelos investigadores portugueses

Três cientistas percorreram 3000 quilómetros no âmbito de um projecto de doutoramento que tem como objectivo o estudo das populações de quatro espécies de borboletas no mediterrâneo ocidental
Bichos

1 – Borboleta-carnaval (Zerynthia rumina)
Tem este nome por o seu período de voo coincidir com a época carnavalesca e apresentar um padrão de cores muito diversificado (fundo amarelo-claro com manchas vermelhas e pretas). Podem medir até 4,6 centímetros de envergadura, sendo as fêmeas maiores do que os machos. Procria apenas uma vez por ano. Pode viver em locais até aos 1800 metros de altitude acima do nível do mar. É uma espécie mediterrânica, distribuindo-se por uma área que vai do sul de França ao norte de África. Os investigadores portugueses viram apenas um exemplar durante esta expedição em Marrocos.

 

2 – Fritilária-comum (Melitaea deione)
Trata-se de uma espécie comum em Portugal, mas em Marrocos são muito raras. Os três jovens cientistas não avistaram nenhuma. Procriam duas vezes por ano, excepto nos Alpes italianos, onde é apenas uma vez. A envergadura de asa varia entre os 3,2 e os 4,2 centímetros. Voam entre Maio e Setembro, principalmente em espaços abertos.

 

3 – Melanargia occitanica
Também não foi avistada pelos investigadores portugueses. Eduardo Marabuto refere que nas várias viagens que já realizou a Marrocos, nunca viu nenhuma. Esta espécie voa entre Abril e Junho na Europa e entre Maio e Junho em África. As asas, cuja envergadura varia entre os 4 e os 4,8 centímetros, têm fundo branco e manchas negras. Procria apenas uma vez por ano. Pode ser encontrada até 1200 metros acima do nível do mar. É uma espécie ameaçada em Marrocos, devido à mudança nas práticas agrícolas.

 

4 – Melanargia ines
Procria uma vez por ano. O seu período de voo estende-se de Maio a Junho. Esta espécie pode ser encontrada em áreas rochosas onde exista erva seca, até aos 1500 metros de altitude. A equipa de investigadores portugueses conseguiu capturar vários exemplares e assim seguir em frente com o estudo desta espécie. Foi descrita em 1804 por Johann Hoffmannsegg, um botânico, entomólogo e ornitólogo alemão, a partir de um exemplar apanhado em Portugal.

Leia aqui o artigo sobre a expedição a Marrocos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.