Conservação

A rinoceronte Victoria está grávida. E isto é uma óptima notícia

Fêmea de rinoceronte-branco-do-sul vive no Jardim Zoológico de San Diego (EUA) e engravidou através de inseminação artificial. Esta pode ser a única esperança para salvar o rinoceronte-branco-do-norte, extinto em meio selvagem desde 2009
Bichos
Período de gestação dos rinocerontes varia entre os 16 e os 18 meses (Foto: San Diego Zoo)

Victoria, uma fêmea de rinoceronte-branco-do-sul que vive no Jardim Zoológico de San Diego (EUA), está grávida, o que representa uma esperança no processo de recuperação do rinoceronte-branco-do-norte (Ceratotherium simum cottoni), subespécie que foi declarada extinta em meio selvagem em 2009.

O Zoo de San Diego tem congeladas células de 12 machos de rinoceronte-branco-do-norte. Os investigadores do Instituto para a Investigação em Conservação esperam poder convertê-las em células estaminais, que por sua vez serão transformadas em esperma e óvulos. Estas poderão depois ser usadas na inseminação artificial de fêmeas de rinoceronte-banco-do-sul.

Actualmente, só existem dois rinocerontes-brancos-do-norte. Ambos são fêmeas e não podem procriar. O último macho morreu em Março deste ano, no Quénia. Sudan, assim se chamava, tinha 45 anos de idade estava doente há vários meses. Devido ao seu grande sofrimento, a equipa de médicos veterinários do santuário Ol Pejeta Conservancy, onde vivia, decidiu eutanasiá-lo.

A gravidez de Victoria, conseguida através da técnica de inseminação artificial, “representa um acontecimento histórico” para o Zoo de San Diego, mas também “um passo crítico nos esforços para salvar o rinoceronte-branco-do-norte”, afirma Barbara Durrant, directora do Departamento de Ciências Reprodutivas do Instituto para a Investigação em Conservação deste zoo.

O período de gestação dos rinocerontes varia entre os 16 e os 18 meses. Se tudo correr bem, a cria de Victoria nascerá no verão do próximo ano. Esta fêmea, de sete anos de idade, faz parte de um grupo de seis que vieram de reservas privadas da África do Sul para o Zoo de San Diego em Novembro de 2015. Todas estão a ser sujeitas a testes para ver se podem ser mães de substituição.

Os cientistas têm esperança de que uma cria de rinoceronte-branco-do-norte possa nascer através deste método dentro de 10 a 15 anos. A mesma técnica poderá ser utilizada para salvar outras espécies em risco, como o rinoceronte-de-sumatra (Dicerorhinus sumatrensis) e o rinoceronte-de-java (Rhinoceros sondaicus).

Os rinocerontes estão à beira da extinção, devido à caça furtiva. De acordo com o Zoo de San Diego, todos os dias são abatidos três rinocerontes. O chifre é-lhe retirado em vida para ser vendido no mercado negro e o animal é deixado em grande sofrimento até acabar por morrer.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.