Insólito

Fraldas para galinhas? Nos EUA, já são um negócio

Animais são cada vez mais populares como mascote. Julie Baker criou uma empresa de confecção de fraldas em 2010 e já exporta para todo o mundo
Fátima Mariano

(Fotos: Direitos reservados – Pampered Poultry)

Em alguns estados americanos, as galinhas (Gallus gallus domesticus) são legalmente reconhecidas como animais de companhia. Num inquérito realizado em 2014 e ao qual responderam 1487 pessoas, 57,4% disseram que possuíam galinhas (uma ou mais) exclusivamente como mascotes. Em outros países, como o Reino Unido, o Canadá e a Austrália, estes bichos são também muito populares. De tal forma que têm surgido alguns produtos dirigidos às galinhas e aos seus donos. Como é o caso das fraldas.

Ao jornal Os Bichos, Julie Baker, fundadora da Pampered Poultry, contou que resolveu começar a confeccionar fraldas para galinhas em 2010 porque a filha tinha o hábito de levar as suas para dentro de casa. E estas acabavam por sujar tudo. Na altura, havia no mercado produtos para vários animais de companhia, mas não para galinhas, que começavam a ser aceites como mascotes. O negócio, acrescentou Julie Baker, tornou-se um tal sucesso que a empresa, sedeada em Claremont (Nova Hamphsire), já exporta fraldas para todo o mundo.

Questionada sobre se as galinhas se sentem confortáveis ao usarem as fraldas, responde que não. No entanto, sublinha, “elas adoram a atenção extra e as guloseimas que recebem dos donos quando estão dentro de casa”.

Quando o negócio começou a expandir e Julie Baker deixou de ter mãos para responder a todas as encomendas, decidiu associar-se ao Sewing My Future (Coso o meu futuro, em tradução livre), na República Dominicana. Trata-se de um projecto que põe em contacto pequenas empresas americanas com costureiras dominicanas, permitindo o desenvolvimento das primeiras e oferecendo uma oportunidade de trabalho remunerado às segundas.

Actualmente, Julie Baker tem quatro mulheres de uma localidade nos arredores de Puerto Plata (a 9.ª maior cidade da República Dominicana) a trabalharem a tempo inteiro para si. Todos os anos, viaja até lá para preparar a nova colecção de fraldas. Esta empreendedora sente-se recompensada não só por melhorar a vida de quem tem galinhas como animal de estimação, mas principalmente por poder ajudar estas mulheres a darem uma vida melhor às suas famílias.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.